rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
  • Acordo do Brexit recebe apoio preliminar do Parlamento britânico

Detenção Cabinda Angola África Lusófona

Publicado em • Modificado em

Francisco Luemba detido quando tentava sair de Angola

media
Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, Luanda. Man-ucommons/Wikipédia

Francisco Luemba, advogado e ativista de dos Direitos Humanos foi detido, este sábado, no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, em Luanda. Na altura, preparava-se para embarcar rumo a Lisboa, para fazer exames médicos. Depois de esclarecida a situação, Francisco Luemba foi libertado ao fim da manhã deste domingo.


Francisco Luemba foi detido, este sábado, em Luanda. Na altura, o advogado encontrava-se no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro e preparava-se para embarcar rumo a Lisboa. Francisco Luemba foi interpelado pelas autoridades angolanas e impedido de embarcar. O ativista de Cabinda deslocava-se Portugal onde tinha previsto a realização de exames médicos. Os primeiros que ia fazer fora de Angola depois de 11 meses de cadeia.

O advogado e ativista dos Direitos Humanos foi detido por volta das 22h de sábado, acabando por ser libertado este domingo por volta das 12h. Na base desta detenção esteve uma ordem que o impede de sair do país. Ordem, essa, que foi emitida em 2010, dias antes de Luemba ter sido detido por suposto envolvimento no atentado contra a equipa do Togo, em Cabinda. O advogado esteve preso durante quase um ano. Foi absolvido e libertado a 8 de Janeiro passado por decisão do Tribunal Supremo.

Francisco Luemba foi membro da extinta organização de Direitos Humanos Mpalabanda e tem criticado publicamente ações militares levadas a cabo pelo Governo angolano e pela FLEC. O advogado é, ainda, autor do livro “O problema de Cabinda exposto e assumido à luz da verdade e da justiça”.

A RFI entrou em contacto com Francisco Luemba que fez o relato do sucedido.

Francisco Luemba, advogado e ativista dos Direitos Humanos 20/03/2011 Ouvir