rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Sanções Guiné-Bissau Golpe militar Gâmbia Forças Armadas CEDEAO

Publicado em • Modificado em

Daba Na Walna afirma que não haverá intervenção militar na Guiné

media
Estado Maior das Forças Armadas da Guiné-Bissau Liliana Henriques / RFI

O porta-voz do Chefe de Estado Maior das Forças Armadas, afirmou hoje que não haverá intervenção militar na Guiné-Bissau. O tenente-coronel fez o rescaldo da reunião de Banjul sublinhando que a Guiné não será sancionada pois está a cumprir as metas definidas pela Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO).


O tenente-coronel Daba Na Walna, porta-voz do Chefe de Estado Maior das Forças Armadas bissau-guineenses, afirmou hoje que não haverá intervenção militar na Guiné-Bissau.

Em conferência de imprensa, Daba Na Walna, fez o rescaldo da reunião realizada no passado sábado em Banjul, na Gâmbia, sublinhando que a Guiné não será alvo de sanções pois está a cumprir as metas definidas pela CEDEAO.

Descarta um ataque à Guiné, defendendo que a força militar daquela organização virá para o país com o intuito de supervisionar a saída da força angolana e de acompanhar o processo de transição. Afirma ainda que a junta aceitou todos os pontos apresentados pela CEDEAO expecto o retorno de Raimundo Pereira à Presidência da República.

Para mais pormenores ouçam as declarações de Daba Na Walna, recolhidas por Mussa Baldé, nosso correspondente na Guiné-Bissau.

Daba Na Walna 01/05/2012 Ouvir

Na próxima quinta-feira realizar-se-á em Dacar, no Senegal, uma reunião com o objectivo de encontrar um desfecho para este impasse do pós-golpe de estado.