rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Eleição presidencial Fraude Haiti OEA Segundo turno

Publicado em • Modificado em

Ex-primeira dama e cantor vão disputar o 2° turno das presidenciais no Haiti

media
Os candidatos que concorrerão ao segundo turno das presidenciais no Haiti: o cantor popula Michel Martelly e a ex-primeira-dama Mirlande Manigat. Reuters/ RFI

Após dois meses de incertezas, as autoridades eleitorais do Haiti anunciaram que o segundo turno das eleições presidenciais vai acontecer no dia 20 de março entre Mirlande Manigat, ex-primeira-dama, vencedora do primeiro turno, e o cantor Michel Martelly, que havia chegado em terceiro lugar prejudicado por fraudes. O candidato do governo Jude Célestin foi excluído do pleito.


Depois de uma grave crise política, finalmente o Conselho Eleitoral Provisório do Haiti divulgou os nomes dos dois candidatos que concorrerão ao segundo turno das eleições presidenciais. A ex-primeira-dama Mirlande Manigat rivalizará com o cantor popular Michel Martelly. O candidato do poder, Jude Célestin, foi excluído do segundo turno sob suspeita de fraudes.

Os primeiros resultados das eleições presidenciais no Haiti, comunicados em dezembro, indicavam a ex-primeira-dama Mirlande Manigat em primeiro lugar, com 31% de votos, e o candidato do atual governo, Jude Célestin, em segundo lugar com 22% de votos. O cantor Michel Martelly, com sete mil vozes a menos do que Célestin, havia ficado fora do segundo turno. No entanto, as denúncias de fraude a favor do candidato governista provocaram uma série de incidentes de violência em todo o país. Os eleitores de Martelly ficaram particularmente indignados com os resultados. 

Para tentar acalmar o país fragilizado, o presidente René Préval pediu para a Organização dos Estados Americanos (OEA) avaliar o processo eleitoral. Má ideia, porque a OEA acabou constatando fraudes em favor de Jude Célestin. A organização acabou recomendando a exclusão do candidato governista do segundo turno.

O calendário eleitoral haitiano ficou totalmente desorganizado. O segundo turno, que deveria se realizar em 16 de janeiro, foi adiado para 20 de março. Os resultados definitivos devem ser conhecidos em 16 de abril.

Do lado da comunidade internacional, Estados Unidos e diversos países pressionam as autoridades do Haiti para que respeitem as recomendações da OEA.