rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Dominique Strauss-Kahn Escândalo Estados Unidos Estupro

Publicado em • Modificado em

Advogado de camareira busca mais vítimas do ex-chefe do FMI

media
O advogado da camareira guineana Nafissatou Diallo, Kenneth Thompson (à esquerda) Reuters

O advogado da camareira que acusa o ex-chefão do FMI de crimes sexuais está tentando encontrar mais vítimas de Dominique Strauss-Kahn na França e na África. Ele lançou um apelo na imprensa francesa para que eventuais vítimas entrem em contato com ele.


Kenneth Thompson, o advogado da camareira guineana Nafissatou Diallo, lançou o apelo na noite de terça-feira no canal de televisão francês France 2. Ele pediu a mulheres na França ou na África que tenham sido abusadas por Strauss-Kahn para ligar e entrar em contato por que ele quer ajudá-las.

O advogado da camareira já havia feito alusão a outra vítima de Strauss-Kahn, na última segunda-feira, após a audiência no Tribunal de Nova York onde o ex-chefe do FMI declarou ser inocente dos crimes sexuais que é acusado. Ele fazia provavelmente referência ao caso da jovem Tristane Banon, uma francesa que disse ter sido vítima de uma agressão sexual de Strauss-Kahn em 2002. O caso voltou à tona após o escândalo do ex-chefe do FMI, em Nova York.

Mas Tristane já anunciou que não pretende se associar ao processo americano que não lhe diz respeito e não quer ser instrumentalizada pela justiça americana. “Existem dois casos e cada um deles deve ser julgado separadamente, segundo as leis de cada país onde os eventuais crimes foram cometidos”, afirmou nesta quarta-feira David Koubbi, o advogado da suposta vítima francesa de Strauss-Kahn. Tristane Banon decidiu, por enquanto, não processar o ex-chefe do FMI na justiça francesa.

Dominique Strauss-Kahn, que está em liberdade vigiada em Nova York desde o dia 25 de maio, vai agora enfrentar um julgamento e se condenado pode pegar até 74 anos de prisão. A próxima audiência está marcada para o dia 18 de julho.