rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Bolívia Droga Tráfico Tráfico de droga Cocaína

Publicado em • Modificado em

Bolivianos saem às ruas para defender consumo de folhas de coca

media
Manifestante mastiga folha de coca durante protesto em La Paz REUTERS/David Mercado

Milhares de pessoas saíram às ruas em várias cidades da Bolívia em um protesto batizado de “Jornada da Mastigação”. Com folhas de coca na boca, eles pediram a legalização do consumo da planta, que faz parte das tradições andinas há milênios. A manifestação acontece no mesmo dia em que o presidente Evo Morales defende o costume diante da agência das Nações Unidas na Áustria.


Mesmo se várias cidades participaram do protesto, o ponto alto da “Jornada da Mastigação” foi na capital La Paz e em Santa Cruz, onde cultivadores da coca vindo de todo o país manifestaram nas ruas, com folhas da planta nas mãos e na boca. Produtos derivados, como bolos, cremes, xaropes ou refrigerantes também foram apresentados ao público que assistia as passeatas e pôde até mastigar algumas folhas, distribuídas pelos ativistas.

O evento tem como objetivo pedir a legalização do consumo das folhas de coca. O protesto ocorre no mesmo dia em que o presidente boliviano, Evo Morales, defende, em Viena, na Áustria, o consumo da planta diante da comissão de entorpecentes da agência das Nações Unidas de luta contra o tráfico de drogas e a criminalidade (UNODC, na sigla em inglês). Segundo o chefe de Estado, a inscrição, desde 1961, das folhas de coca na lista de substâncias proibidas da instituição, é “um erro histórico”.

A mastigação da planta é uma prática milenária na região dos Andes, onde a população a utiliza com fins terapêuticos, para lutar contra os efeitos da altitude, mas também para combater a fome e o cansaço. Os bolivianos consideram que o produto, que também é a matéria-prima da cocaína, não é uma droga. Evo Morales, aliás, reafirmou sua determinação para combater o tráfico do entorpecentes e lembrou que seu país, terceiro maior produtor de cocaína no mundo, precisa da ajuda internacional para vencer o narcotráfico.