rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Bahamas Chuvas Cuba Furacão Haiti Jamaica

Publicado em • Modificado em

55 mil cubanos são retirados de casa com a chegada do furacão Sandy

media
Furacão Sandy chega à costa de Cuba. REUTERS/Desmond Boylan

O furacão Sandy progrediu para a categoria 2 e atravessou o sudeste de Cuba durante a madrugada, provocando chuvas e ventos fortes. Pelo menos 55 mil pessoas foram retiradas de suas casas, segundo as autoridades cubanas, devido à ameaça de inundações.


Segundo balanço preliminar das autoridades cubanas na manhã desta quinta-feira, Sandy não deixou feridos em sua passagem por Cuba, causou apenas danos materiais. Ao atravessar a Jamaica e o Haiti, anteriormente, o furacão provocou a morte de duas mulheres. Sandy estava para deixar a ilha de Cuba por volta das 8h em Brasília.

O tráfego aéreo no sudeste da ilha foi suspenso desde a noite de quarta-feira, assim como nas rodovias e ferrovias da região. Em Santiago de Cuba, milhares de turistas ficaram refugiados em hotéis. Várias árvores foram arrancadas e houve pane de energia elétrica.

Cerca de três mil colhedores de café tiveram que voltar para suas casas e os estoques de cana e café foram levados para silos. Segundo um jornalista da agência Reuters, a base americana de Guantânamo ficou sem eletricidade por algumas horas. Ao todo, seis províncias da região sudeste de Cuba passaram a noite em estado de alerta.

O furacão, acompanhado de ventos de até 183 quilômetros por hora, ganhou força nas Antilhas e depois de atravessar Cuba, deve se encaminhar para o norte, em direção às Bahamas.