rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

CIA Demissão Escândalo Estados Unidos Exército

Publicado em • Modificado em

Uma semana antes de depor sobre ataque em Benghazi, Petraeus se demite da CIA

media
General David Petraeus, que pediu demissão da direção da CIA nesta sexta-feira. Reuters

Na sexta-feira, o ex-general David Petraeus, o poderoso diretor da CIA, a agência de inteligência americana, pediu demissão do seu cargo após reconhecer ter vivido uma relação extraconjugal. O presidente Barack Obama aceitou o pedido, elogiando o trabalho realizado pelo militar, considerado um herói da guerra do Iraque. Petraeus deveria depor na semana que vem sobre as circunstâncias do ataque à embaixada americana na Líbia que custou a vida do embaixador Chris Stevens e dois funcionários.


O presidente Barack Obama conversou com David Petraeus por telefone e aceitou sua demissão. "Depois de 37 anos de casamento, eu demonstrei uma enorma falta de responsabilidade iniciando uma relação extraconjugal. Tal comportamento é inaceitável como marido e como dirigente de uma organização como a nossa", explicou Petraeus em uma mensagem escrita aos funcionários da CIA.

A identidade da amante do ex-n° 1 da CIA não foi divulgada oficialmente, mas fontes sob anonimato apontam o nome da biógrafa Paula Broadwell, suspeita de ter tentado o acesso aos e-mails confidenciais de Petraeus, quando ele dirigia a coalizão internacional no Afeganistão.

Aos 60 anos, o general deixou o exército para dirigir a agência de inteligência, em setembro de 2011. Ele foi reconhecido como comandante de guerra após os atentados de 11 de setembro.

Benghazi

A demissão do ex-general acontece uma semana antes dele ser ouvido pela comissão do Senado e da Câmara dos representantes que investiga o ataque ao consulado americano de Benghazi, na Líbia, em 11 de setembro deste ano. Na ocasião, morreram o embaixador Chris Stevens e dois funcionários. David Petraeus deveria explicar quais informações eram detidas pela CIA e a razão do fracasso na segurança da embaixada, exigida pela presença de diplomatas no local.

Tanto o FBI, a polícia federal americana, quanto o departamento de Justiça, se recusaram a comentar a demissão. Altos responsáveis, a começar pelo próprio presidente, elogiam o trabalho de David Petraeus.

Um dos nomes mais cotados para dirigir a CIA é John Brennan, atual conselheiro de Obama para o combate ao terrorismo. Brennan é considerado um homem experiente e tem a confiança do presidente, segundo Bruce Riedel, ex-membro da CIA e atual analista na instituição Brookings.