rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

asilo político Edward Snowden Escândalo Nicarágua Rússia

Publicado em • Modificado em

Nicarágua confirma pedido de asilo de Snowden

media
Manifestação em apoio a Snowden em Berlim REUTERS/Tobias Schwarz

O ex-consultor de Informática do governo americano, Edward Snowden, pediu asilo político na Nicarágua, segundo a embaixada do país na Rússia. No sábado, as autoridades do país, da Venezuela e da Bolívia afirmaram que poderiam receber Snowden, que revelou a existência de dois programas de rastreamento eletrônico do governo americano.


Edward Snowden está bloqueado há 16 dias na zona de trânsito do aeroporto de Moscou. No sábado, o governo nicaraguense revelou que o técnico de Informática enviou uma carta pedindo asilo. Ele diz temer que seu processo nos Estados Unidos não seja equilibrado. Snowden, 30 anos, pode pegar prisão perpétua por espionagem se voltar para seu país. As embaixadas da Venezuela e da Bolívia, que também se dispuseram a ajudar Snowden, dizem não ter nenhuma informação sobre o fugitivo, que chegou no dia 23 de junho na Rússia.

O porta-voz do presidente russo, Vladimir Putin, disse que a situação do americano, que teve o passaporte confiscado, não é um problema da Rússia, já que ele não atravessou a fronteira e o país não tem acordo de extradição com os Estados Unidos. A questão agora seria como Snowden deixaria a Rússia em termos práticos. Não existe voo direto entre Moscou e a Bolívia, Nicarágua ou Venezuela, e ele seria obrigado a fazer uma escala em Havana.

O governo cubano não se pronunciou a respeito dessa possibilidade, mas disse apoiar a decisão de alguns países da América Latina de conceder asilo a Snowden. Ele também já havia condenado a Espanha, a França, Portugal e Itália por terem fechado o espaço aéreo para o voo do presidente Evo Morales, suspeito de ter Snowden a bordo depois de voltar de uma viagem oficial na Rússia. Um erro que gerou uma grave crise diplomática entre a América Latina e os Estados Unidos.