rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Alimentação Hugo Chávez Importação Nicolás Maduro Venezuela

Publicado em • Modificado em

Venezuela vai importar 400 toneladas de alimentos

media
Presidente Nicolás Maduro atribui a escassez a uma "guerra econômica". REUTERS/Jorge Silva

A Venezuela vai importar 400 mil toneladas de alimentos de países latino-americanos em novembro e dezembro, para combater a grave crise de abastecimento interno, informou o ministro da Alimentação, Félix Osorio.


"Está previsto para novembro e dezembro a chegada de mais de 400 mil toneladas de alimentos", disse Osorio à TV estatal, explicando que do Brasil virão 80 mil toneladas de carne e grãos, principalmente.

A escassez cíclica de alimentos como açúcar, café, azeite e leite, ou produtos básicos como papel higiênico, tem se agravado na Venezuela, onde a inflação nos últimos doze meses foi de 49,4% em setembro, a mais elevada dos últimos 13 anos, segundo números oficiais.

O presidente Nicolás Maduro, que atribui a escassez a uma "guerra econômica" liderada por empresários ligados à oposição, anunciou na segunda-feira passada que acertou com o Brasil a importação de alimentos, principalmente soja, milho e carne. Em setembro passado, o ministério da Agricultura informou que a Venezuela - que conta com as maiores reservas de petróleo do mundo - importa 50% dos alimentos que consome.

O Brasil já vendeu 80 mil toneladas de carne e sementes ao país, enquanto Uruguai e Colômbia também vão fornecer outros produtos de primeira necessidade.

O presidente Nicolás Maduro anunciou nesta quinta-feira a criação do Vice-ministério para a Felicidade Suprema do Povo Venezuelano. O objetivo é atender idosos, crianças, pessoas com necessidades especiais e moradores de rua. Outra curiosidade é a criação do Dia da Lealdade e do Amor em Honra de Hugo Chávez, agendado para 8 de dezembro, o mesmo dia em que serão realizadas as eleições municipais.