rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

América Latina Brasil Catolicismo Igreja Católica México Nicarágua Papa Francisco

Publicado em • Modificado em

Número de católicos cai no Brasil, apesar do sucesso do papa Francisco

media
Papa Francisco durante missa pública na praia de Copacabana, na sua passagem pelo Brasil, em 2013. REUTERS/Luca Zennaro

O número de adeptos do catolicismo continua caindo no Brasil e em praticamente toda América Latina, apesar da presença de um latino-americano no comando do Vaticano. Um estudo divulgado nesta quarta-feira (16) afirma que cada vez mais fiéis se voltam para as igrejas evangélicas ou simplesmente abandonam a religião.


Segundo o relatório “As religiões em tempos de papa Francisco”, divulgado pelo instituto chileno Latinobarómetro, o número de pessoas que se declaram membros da igreja católica caiu para 67% na América Latina em 2013, contra 80% registrados em 1995. De acordo com o estudo, “nos dados recentes, não há uma consequência no número de católicos após a ascensão do papa Francisco ao topo da hierarquia eclesiástica”. Mas a organismo ressalta que ainda é cedo para medir o efeito real da nomeação do argentino Jorge Mario Bergoglio para o cargo. 

Apesar do sucesso popular do sumo pontífice, que já conta com 13 milhões de seguidores em sua conta no Twitter, o afastamento dos fiéis é flagrante em alguns países do bloco, como na Nicarágua, onde 77% da população se considerava católica em 1995, contra apenas 47% em 2013. Os nicaraguenses são seguidos de perto por Honduras, com uma queda de 29 pontos percentuais. O Uruguai aparece como a nação do bloco com o menor número de católicos (41%).

Brasil

Conhecido como o maior país católico do mundo, o Brasil também registrou uma baixa importante no número de fiéis. Segundo a pesquisa do Latinobarómetro, 78% dos entrevistados se consideravam membros da igreja em 1995, contra 63% no ano passado.

As razões dessa queda generalizada são diversas e mudam de acordo com o país, mas no caso brasileiro, além do aumento de evangélicos (21% da população), o número cada vez maior de agnósticos e de pessoas sem religião (11%, no total) também pesou na estatística.

Os únicos países latino-americanos que registraram uma alta foram a República Dominicana e o México, com um aumento de um e dois pontos percentuais, respectivamente. Cerca de 65% dos dominicanos se consideravam católicos em 2013 e 79% dos mexicanos diziam ser membros da igreja romana no ano passado. Mas a nação com maior número de católicos na região é o Paraguai, com 88% de fiéis. 

O estudo também apresenta uma nuance às estatísticas, frisando que 78% dos católicos latino-americanos ouvidos declararam continuar tendo fé na Igreja. O resultado representante um alta de nove pontos com relação ao ano de 2011.