rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Michael Jackson Morte Aniversário Fortuna Estados Unidos

Publicado em • Modificado em

Cinco anos após sua morte, fortuna de Michael Jackson se multiplica

media
Michael Jackson. © Epic Records

Os fãs de Michael Jackson visitam nesta quarta-feira (25) o túmulo do cantor no cemitério de Forest Lawn, perto de Los Angeles, para comemorar os cinco anos de sua morte. O rei da música pop morreu no dia 25 de junho de 2009, aos 50 anos, de uma crise cardíaca, provocada por uma overdose de remédios. Um livro, que acaba de ser publicado, revela que o músico ganha muito mais dinheiro morto do que vivo.


Zack Greenburg, autor do livro "Michael Jackson Inc" (ou “A marca Michael Jackson”, em tradução livre), afirma que desde que morreu o “Rei do Pop” ganha muito mais dinheiro do que qualquer músico em atividade. Ele garante que os herdeiros do cantor acumularam em cinco anos mais de US$ 700 milhões de dólares, cerca de R 2,1 bilhões. Um paradoxo quando se sabe que no final da vida Michael Jackson se esforçava para evitar a falência.

Fortuna

A herança deixada pelo cantor foi estruturada pela empresa “Michael Jackson Estate” que administra os bens da família em nome da mãe e dos três filhos doartista. Logo após a morte do músico, várias foram adotadas com sucesso e conseguiram pagar as dívidas deixadas por ele, de um valor de US$ 500 milhões.

A primeira delas foi o lançamento do DVD “This is It”, reunindo as imagens dos últimos ensaios para a turnê do mesmo nome que Michael Jackson acabou não fazendo. As vendas do DVD renderam US$ 200 milhões, mesmo valor obtido pelo contrato assinado com a Sony para o lançamento de sete CD’s póstumos em 10 anos. O primeiro disco, “Xscape”, chegou às lojas em maio.

Processo

A multiplicação da fortuna do “Rei do Pop” aconteceu apesar dos vários processos abertos na Justiça após sua morte inesperada. O mais midiatizado foi o julgamento do doutor Conrad Murray, que administrou os remédios contra insônia que causaram a morte de Michael Jackson. O médico foi finalmente condenado a quatro anos de prisão por homicídio culposo, em novembro 2011. Murray foi libertado em outubro de 2013, após cumprir dois anos da pena.