rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

México Violências estudantes Máfia Narcotráfico

Publicado em • Modificado em

Sumiço de estudantes no México causa demissão do governador de Guerrero

media
Angel Aguirre demitiu-se do cargo de governador de Guerrero em 23 de outubro de 2014. REUTERS/Jorge Dan Lopez

O escândalo dos 43 estudantes desaparecidos há um mês em Iguala, no sul do México, depois de terem sido entregues pela polícia à máfia local, teve seu primeiro impacto no cenário político do país: o governador do Estado de Guerrero se demitiu na quinta-feira (23).  


O governador Angel Aguirre acabou cedendo à pressão da população e do mundo político do país, que vinham insistindo na sua demissão. Ele foi alvo de fortes críticas sobre a sua incapacidade de frear a violência dos narcotraficantes na região e, principalmente, de não ter conseguido nenhum avanço na busca dos 43 estudantes desaparecidos.

Eleito em 2011 pelo Partido da Revolução Democrática (PRD), de esquerda, Guerrero ficou isolado na cena política depois que o partido do poder (Partido Revolucionário Institucional, PRI), do presidente Enrique Pena Nieto, assim como os consevadores, exigiram a sua demissão.

Abandonado por seu próprio partido, Guerrero não teve outra saída senão deixar o cargo.Em uma coletiva de imprensa, ele afirmou que para ele era fundamental a busca dos desaparecidos continuar e os responsáveis serem punidos. "Espero que minha demissão favoreça um clima político que permita que a atenção se volte para estas prioridades e sua solução", disse Guerrero, bastante abatido.

Esta demissão aconteceu um dia depois das autoridades mexicanas emitirem um mandado de prisão contra o prefeito de Iguala, José Luis Abarca, eleito pelo PRD, suspeito de ser, com sua esposa, o mandante do ataque em 26 de setembro contra os estudantes. A violência deixou 6 mortos, 25 feridos e 43 desaparecidos, dos quais não há notícias até hoje, um mês depois do sequestro.