rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Cuba Estados Unidos Cúpula das Américas Relações Bilaterais Diplomacia

Publicado em • Modificado em

Obama e Castro terão encontro bilateral neste sábado no Panamá

media
Barack Obama deve se encontrar com Raúl Castro durante a Cúpula das Américas no Panamá. REUTERS/Jonathan Ernst

Barack Obama vai se reunir com Raúl Castro durante a 7ª Cúpula das Américas, no Panamá. Além de estarem juntos nesta sexta-feira (10) na abertura do evento histórico, que conta pela primeira vez com a participação de Havana, os presidentes dos Estados Unidos e de Cuba devem ter um encontro bilateral neste sábado (11). A informação foi confirmada por um conselheiro da Casa Branca. 


Barack Obama havia apertado rapidamente a mão de Raúl Castro em dezembro de 2013, durante o funeral de Nelson Mandela, na África do Sul. Mas com exceção de alguns breves encontros informais, presidentes dos Estados Unidos e de Cuba não fazem uma reunião bilateral desde a revolução cubana de 1959 e da ruptura das relações diplomáticas entre os dois países, em 1961.

Segundo Ben Rhodes, conselheiro presidencial adjunto para as questões de segurança dos Estados Unidos, esse momento histórico deve acontecer durante o segundo dia da reunião no Panamá. “Esperamos que eles tenham a ocasião de se ver amanhã (sábado) e discutir à margem da cúpula”, disse o representante da Casa Branca.

Segundo o governo norte-americano, os dois líderes já vinham preparando esse possível encontro antes do início do evento. "Posso confirmar que o presidente Obama falou com o presidente Castro na quarta-feira, antes de partir de Washington", afirmou uma fonte da Casa Branca. Essa foi a segunda conversa telefônica entre os dois chefes de Estado, que vêm se aproximando desde dezembro, quando os dois países anunciaram ao mundo os primeiros passos de um acordo para restabelecer as relações diplomáticas, depois de cinco décadas de tensões.

Lista dos países que apóiam o terrorismo

Mas além dos gestos simbólicos, Cuba espera com impaciência que os Estados Unidos retirem a ilha comunista da lista de países que apóiam o comunismo. Essa é uma das condições impostas para que embaixadas sejam reabertas de ambos os lados.

A medida já chegou a ser preconizada pelo departamento de Estado norte-americano, que indicou, na quinta-feira (9), que um membro da comissão senatorial das Relações Exteriores e Barack Obama dariam o sinal verde em breve. Mas ainda não se sabe se a decisão será anunciada durante a cúpula no Panamá.

Dilma se encontra com vários líderes

A presidente brasileira Dilma Rousseff chegou no Panamá na manhã de sexta-feira (10) com a agenda repleta de encontros bilaterais antes da inauguração da cúpula. A chefe de Estado se reuniu com os líderes do México, Enrique Peña Nieto, e da Colômbia, Juan Manuel Santos, além do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon. Uma reunião com o presidente do Facebook, Mark Zuckerberg, e a participação no Foro Empresarial sobre o tema "Unindo as Américas: Integração Produtiva para o Desenvolvimento Inclusivo", também estavam no programa do primeiro dia.