rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
  • Queniano Eliud Kipchoge termina Maratona de Berlim em 2h03 e vence a prova

Bolívia Evo Morales Celebração

Publicado em • Modificado em

Evo Morales celebra recorde como presidente da Bolívia

media
Presidente boliviano Evo Morales. REUTERS/Alessandro Bianchi

Evo Morales celebrou nesta quarta-feira (21), com um ritual indígena, o recorde como o presidente que permaneceu mais tempo no poder na Bolívia. Durante a cerimônia no complexo religioso pré-incaico andino de Tiwanaku, ele agradeceu o apoio que recebeu dos ex-presidentes latino-americanos Fidel Castro, Hugo Chávez, Luiz Inácio Lula da Silva e Néstor Kirchner.


Desde a fundação da Bolívia, em 1825, e antes de Evo Morales, o governante que havia ficado mais tempo no poder tinha sido o Marechal Andrés de Santa Cruz, que comandou o país por 9 anos, 8 meses e 26 dias, entre 1829 e 1839. O presidente boliviano, da etnia indígena Aimara, superou hoje esta marca, prestando “homenagem ao nosso processo de mudança e ao nosso povo.”

O governante, um crítico ferrenho da economia neoliberal e das políticas dos Estados Unidos, relembrou suas vitórias desde que chegou ao poder em 2006. Ele conquistou três mandatos consecutivos. O último deve terminar em 2020, mas o governo tenta emplacar uma reforma constitucional para garantir uma nova reeleição que manteria Morales mais cinco anos à frente do país.

A oposição boliviana, dividida e incapaz de ganhar uma eleição há dez anos, acusa o presidente de manobrar para tentar se eternizar no poder.

Apoio latino-americano

Evo Morales lembrou hoje o apoio e os ensinamentos que recebeu desde o início de líderes latino-americanos. "Fidel Castro, de Cuba, e Hugo Chávez, da Venezuela, nos ajudaram bastante com a campanha oftalmológica 'missão milagre' e com a alfabetização. Esse apoio nos consolidou", disse. Morales também reconheceu a “participação do brasileiro Lula, com suas sugestões, e do argentino Néstor Kirchner, de quem temos muitas lembranças".

Ministros que integram o governo desde o primeiro dia em que Morales assumiu a presidência, em 22 de janeiro de 2006, como o das Relações Exteriores, David Choquehuanca, e o da Economia, Luis Acre, participaram da celebração.