rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Nevasca Washington DC Nova York

Publicado em • Modificado em

Washington continua soterrada pela neve

media
Aviso de nevasca em Washington, na última sexta-feira (22). REUTERS / Jonathan Ernst

Washington permanecia bloqueada nesta segunda-feira (25), depois de uma histórica nevasca que paralisou o leste do país. As operações de limpeza na capital americana e no resto da região leste se multiplicaram desde que a tempestade acabou no domingo, deixando 33 mortos


O acúmulo recorde de neve - 67 cm no nova-iorquino Central Park e 56 cm no aeroporto internacional de Washington - ainda demandará vários dias de trabalho.

Em Washington, menos acostumada que Nova York a invernos rigorosos, as escolas públicas e os serviços administrativos permaneciam fechados para facilitar a reabertura das vias e evitar acidentes. Muriel Bowser, prefeita da capital federal,  continua a pedir que moradores, pedestres e motoristas permaneçam em casa.

25% da população americana foi afetada pela nevasca

Apelidada de "Snowzilla", a tempestade, que atingiu proporções históricas, cobriu de neve o leste do país na sexta e no sábado, afetando 85 milhões de pessoas, um quarto da população do país. Mas, no domingo o tempo melhorou e deu uma trégua.

O prefeito da cidade de Nova York, Bill de Blasio, também fez um apelo para que os nova-iorquinos só circulem pelas ruas em caso de necessidade.

Voos estão sendo retomados aos poucos

Mais de onze mil voos foram cancelados durante os três dias de tempestade nos diferentes aeroportos da zona afetada, segundo o site especializado FlightAware. As operações têm sido retomadas de forma limitado.

O metrô de Washington, o segundo do país com 700.000 passageiros diários em tempo normal, recuperava-se lentamente na segunda-feira, apenas com a metade de suas seis linhas e só em seus trechos subterrâneos, com um intervalo incomum de 20 a 25 minutos.

Assistam a reportagem legendada da France 24 nas ruas de Washington: