rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Venezuela Malária

Publicado em • Modificado em

ONGs e oposição alertam sobre aumento de malária na Venezuela

media
Mosquito transmissor da Malária Wikipedia commons

A Venezuela registrou cerca de 125 mil casos de malária entre janeiro e julho de 2016, em comparação com os 136 mil notificados durante todo o ano passado, denunciaram nesta segunda-feira (22) organizações não-governamentais dedicadas à saúde e líderes da oposição.


"Retrocedemos 75 anos na luta contra a malária", declarou Bernardo Guerra, médico e membro do partido opositor Ação Democrática. Ele afirmou que os dados correspondem a um "relatório oficial" do Ministério da Saúde, que acusou de "manter oculta a informação".

A ministra da Saúde, Luisana Melo, que não se referiu diretamente a registros sobre a malária, anunciou em janeiro passado que seu gabinete priorizou programas para prevenir e tratar doenças transmitidas por picadas de mosquitos, como malária, dengue e zika.

A Rede Defendamos a Epidemiologia, vinculada à ONG Observatório Venezuelano da Saúde (OVS),  afirma que o número de contágios neste ano já ultrapassou 130 mil.

Erradicação em 1961

"Não sei se foram feitas as atividades suficientes desde o ponto de vista de política sanitária para combater a epidemia", advertiu Guerra, acrescentando que 80% dos casos foram registrados em Bolívar, no sul do país, mas que "houve uma expansão" a outros 15 dos 24 estados do país.

A Venezuela erradicou a malária em 1961, segundo certificação da Organização Mundial da Saúde (OMS), mas a doença reapareceu nos últimos anos.

De acordo com a OMS, foram registrados 214 milhões de casos de malária em 2015 no mundo todo, com uma diminuição de 18% desde o ano 2000.