rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Chapecoense Acidente Bolívia

Publicado em • Modificado em

Bolívia suspende licença da Lamia após acidente com delegação da Chapecoense

media
Lamia teve seu certificado de operador aéreo suspenso Courtesy of El Deber newspaper via REUTERS

As autoridades bolivianas suspenderam nesta quinta-feira (1°) as operações da companhia aérea nacional Lamia, cujo avião caiu na Colômbia, deixando 71 mortos, incluindo a delegação do time de futebol brasileiro Chapecoense. Segundo o governo da Bolívia, vários funcionários do alto escalão do controle aeronáutico do país também foram demitidos.


"O governo instruiu na DGCA (Direção-Geral da Aviação Civil) a suspensão do certificado de operador aéreo (da Lamia) e uma investigação" sobre as permissões da empresa, seus proprietários e capital, informou o ministro boliviano de Obras e Serviços Públicos, Milton Claros. Além disso, as autoridades ordenaram "a troca da equipe executiva, tanto da DGAC como da AASANA (Administração de Aeroportos e Serviços Auxiliares à Navegação Aérea), enquanto durarem as investigações".

A resolução administrativa datada de 29 de novembro, mas divulgada somente nesta quinta-feira, estabeleceu a suspensão de maneira imediata do "Certificado de Explorador de Serviços Aéreos, (AOC) e da Permissão de Operação outorgada à Empresa LAMIA CORPORATION SRL". O texto não explica as razões da medida, mas foi aprovado um dia depois do avião da companhia boliviana cair na Colômbia. O documento assinalou que a DGAC "fará comunicados oficiais periodicamente".

A principal hipótese para o acidente é a falta de combustível do avião fretado. Segundo o representante da empresa, Gustavo Vargas, a aeronave não cumpriu o plano de reabastecer em Cobija, cidade boliviana fronteiriça com o Brasil, ou em Bogotá.