rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
  • UE impõe à Google multa recorde de € 2,4 bilhões por abuso de poder dominante

Maconha Legalização Uruguai Droga

Publicado em • Modificado em

Farmácias do Uruguai venderão maconha para uso recreativo

media
Uruguai será o primeiro país na América Latina a vender maconha para uso recreativo REUTERS/Andres Stapff

O Uruguai será o primeiro país a vender maconha em farmácias para uso recreativo. A venda começará em julho deste ano, sob o controle do Estado.

 

 


Desde que a lei que regulamente a produção e venda da maconha foi adotada em 2013, os consumidores tinham o direito de cultivar a droga a domicílio ou integrar uma cooperativa para realizar o plantio.

A proposta de vender o produto em farmácias não é vista por unanimidade pelo setor. Hoje, somente 16 aceitaram fazer o comércio, mas o governo espera ter uma rede de 30 farmácias até o meio do ano.

O objetivo da lei, como lembra Juan Andrés Roballo, presidente do conselho nacional de drogas, é criar uma forte concorrência ao mercado informal, enquadrando a venda. "No dia 2 de maio vamos organizar um registro de usuários e lançaremos uma campanha de comunicação sobre os riscos desta droga. É claro que será também uma oportunidade para lembrarmos a regulamentação e as condições de venda da maconha nas farmácias", explicou Roballo.

O que o governo vai fazer com o dinheiro das vendas?

Cada consumidor poderá comprar 10 gramas por semana, pelo preço fixo de US$1,30. A receita das vendas será investida em políticas de prevenção, campanhas, e também em empresas privadas, selecionadas pelo Estado, para produzir a maconha.

Atualmente, o Uruguai tem uma reserva de 400 kg de maconha e espera produzir entre 6 e 10 toneladas por ano.

No entanto, a polícia do país constatou que a lei não reduziu o tráfico. Cerca de 4,3 toneladas foram apreendidas em 2016, contra 2,5 no ano anterior.