rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
  • Autor do atentado de Manchester integrava célula terrorista, diz polícia

Redes Sociais Expulsão Estados Unidos Avião Voos Racismo

Publicado em • Modificado em

United Airlines é bombardeada nas redes sociais depois de expulsão de passageiro

media
Homem é retirado à força de avião no aeroporto de Chicago (Foto: reprodução)

A companhia aérea americana United Airlines foi alvo de críticas contundentes nas redes sociais nesta segunda-feira (10) depois de retirar à força um passageiro por overbooking. O incidente aconteceu no domingo (9), no aeroporto de Chicago.


O vídeo gravado por outros passageiros que testemunharam a cena rapidemente se espalhou pelas redes sociais, provocando reações indignadas. Na cena, três policiais agarram um homem à força, em um assento, e o arrastam pelo chão do corredor do avião, para retirá-lo do aparelho. Imagens publicadas no Twitter mostram o homem, de origem chinesa, com o rosto ensanguentado.

O passageiro explicou que era médico e não podia deixar de pegar o voo. Diante da recusa, a tripulação chamou a polícia, que agiu com violência, chocando os demais passageiros.

De acordo com o diretor da United Airlines, Oscar Muñoz, trata-se de "um fato que comoveu todos aqui na United”. Em um comunicado publicado no site da companhia, ele disse que está “tentando entrar em contato com o passageiro para resolver o problema.”

Escolha à revelia

A companhia explicou ter pedido que voluntários cedessem seus assentos no voo da noite de domingo, entre Chicago e Louisville, por conta do excesso de passageiros ("overbooking"). Como ninguém se apresentou, escolheu um passageiro à revelia.

As companhias aéreas americanas estão autorizadas a retirar passageiros diante de "overbooking", mas em troca de uma indenização, caso não haja "voluntários" suficientes, segundo o Departamento de Transportes. De acordo com o departamento de Aviação de Chicago, o incidente "foge ao procedimento padrão", e as ações do oficial de segurança não têm o aval da instituição.