rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Venezuela Protestos Crise política Nicolás Maduro

Publicado em • Modificado em

Jovem de 17 anos morre durante "mãe de todas as marchas" na Venezuela

media
Milhares de venezuelanos saíram às ruas para protestar contra o presidente Nicolás Maduro em 19 de abril de 2017 REUTERS/Carlos Garcia Rawlins

O que se temia, aconteceu. A violência explodiu durante os protestos desta quarta-feira (19) entre opositores ao governo de Nicolás Maduro e policiais. Um jovem morreu com um tiro na cabeça, elevando para seis o número de vítimas em manifestações contra o poder.  


Foi o presidente do Hospital Clínicas Caracas, Amadeo Leiva, que deu a notícia à imprensa: "Ele morreu. Estava em um ponto da concentração da oposição e recebeu um tiro de um dos agentes motorizados que, antes, jogavam bombas de gás lacrimogênio contra a concentração", afirmou o médico, explicando que a bala "estava alojada no cérebro. "Ele entrou no hospital com sinais vitais, mas esse tipo de ferimento tem alta taxa de mortalidade", acrescentou.

A procuradora-geral Luisa Ortega anunciou que vai investigar a morte do jovem e pediu aos órgãos de segurança do Estado "que garantam" o direito de manifestação pacífica.

"Mãe de todas as marchas" bloqueada pela polícia

A oposição venezuelana tentou marchar até a Defensoria Pública, no centro de Caracas, para exigir o respeito aos poderes do Parlamento, único poder que controla. A população pede eleições gerais para superar a crise política e econômica, que mergulhou o país numa penúria sem precedentes.

As forças de segurança impediram que o protesto iniciado em 20 pontos da cidade, batizado como " a mãe de todas as marchas pelos opositores", chegasse ao coração de Caracas, onde manifestantes chavistas também protestavam. Em várias áreas da capital foram registrados distúrbios depois que a polícia e o exército lançaram gás lacrimogêneo contra os opositores do presidente Nicolás Maduro, que responderam com pedras.

Focos de conflitos também foram registrados em trechos da estrada Francisco Fajardo, a principal do país, bem como nos bairros de San Bernardino, onde o jovem foi ferido, EL Paraíso, Quinta Crespo e San Martin, no oeste da cidade.

Opositores também manifestavam nesta quarta-feira em diferentes cidades da Venezuela.

Antes desta quarta-feira, os protestos contra Maduro, iniciados em 1º de abril, já haviam feito cinco mortos, dezenas de feridos e mais de 200 presos.   

(Informações AFP)