rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Furacão Caribe Estados Unidos

Publicado em • Modificado em

Furacão Irma atinge ilhas francesas do Caribe com ventos de mais de 200 km/h

media
Irma já é um furacão histórico, o pior dos últimos 20 anos, de acordo com a agência francesa de meteorologia nesta quarta-feira, 6 de setembro de 2017. AFP

O olho do furacão Irma, classificado na categoria máxima, 5, atingiu na manhã desta quarta-feira (6), por volta de 7h30 pelo horário de Brasília, as ilhas de São Martinho e São Bartolomeu, nas Antilhas Francesas, com ventos de mais de 200 km/h, depois de passar durante a madrugada por Barbuda e Antígua. O governo francês acompanha a evolução da situação com extrema preocupação.Irma já é um furacão histórico, o pior dos últimos 20 anos, de acordo com a agência francesa de meteorologia.


As duas ilhas estão em estado de alerta violeta, o último da escala, e que aconselha o confinamento da população. O governo francês criou em Paris um comitê de emergência que acompanha minuto a minuto a evolução do furacão. Muitos moradores, segundo as autoridades francesas, se recusaram a se dirigir aos abrigos instalados pelas autoridades locais para proteger a população. No litoral, as ondas podem atingir até 12 metros.

São Bartolomeu é um território francês ultramarino e São Martinho é uma ilha dividida em uma parte francesa e outra holandesa. O olho do furacão, de quase 50 quilômetros de diâmetro, permaneceu 1h30 em São Bartolomeu e alcançou depois São Martinho, um pouco mais ao noroeste com ventos de 244 km/h. O mar "está extremamente violento e há uma grande submersão das zonas baixas do litoral", informou o serviço de meteorologia francês. A passagem do olho do furacão é acompanhada de uma "acalmia temporária e enganosa", alertam os especialistas. Fortes tempestades são esperadas. A Guadalupe, também nas Antilhas francesas, foi atingida perifericamente com ventos de até 100 km/h e chuvas importantes.

Trajetória incerta

O furacão de categoria 5, que avança com uma velocidade de 20 a 25km/h, se dirige agora para Anguilla, as Ilhas Virgens britânicas, a ponta leste de Porto Rico, a República Dominicana e o Haiti. Cuba também está na rota de Irma, mas o resto de sua trajetória ainda é incerto.

De acordo com projeções, o furacão passará também pelo norte do Haiti e Cuba. Ele poderá chegar no final de semana à Florida, no litoral leste americano, mas também pode se desviar e atingir a costa oeste. Irma atingirá o sul dos Estados Unidos duas semanas após a passagem de Harvey.

O presidente Donald Trump declarou o estado de emergência na Flórida, Porto Rico e nas Ilhas Virgens para poder liberar verbas em caso de emergência. Em Porto Rico, o governador Ricardo Rosselló Nevares ordenou a abertura de abrigos e aconselhou os cidadãos a colaborar com os vizinhos que precisarem de ajuda, assim como os idosos.
      
Na República Dominicana, o governo emitiu alertas de furacão para a costa norte e de tormenta tropical para a região sul. Ao menos 16 voos do Caribe, procedentes ou para o Aeroporto Internacional de Las Américas, em Santo Domingo, foram suspensos nesta terça-feira. A partir desta quarta-feira as aulas estão suspensas nos territórios declarados em alerta.

A Unicef fez um apelo aos governos da região para que protejam as crianças diante da ameaça de Irma. Segundo o Fundo das Nações Unidas para a Infância, Irma poderá gerar "danos devastadores". "As principais preocupações da Unicef são o fornecimento de água potável, alimentação, saúde e segurança" envolvendo os menores, e o Fundo reuniu provisões, medicamentos e kits de emergência para distribuir, com a ajuda das autoridades nacionais, entre os afetados pelo furacão.