rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Colômbia Papa Francisco Guerrilha

Publicado em • Modificado em

Em Bogotá, papa Francisco pede que colombianos evitem a “tentação da vingança”

media
O papa Francisco foi recebido por milhares de pessoas em Bogotá. REUTERS/Federico Rios

Em seu primeiro discurso na Colômbia, nesta quinta-feira (7), o papa Francisco pediu que a população "fuja de qualquer tentação de vingança". A declaração é feita no momento em que o país deixa para trás o último conflito armado da América Latina.


“A busca da paz é um trabalho inacabado, uma função sem trégua e que exige o engajamento de todos”, disse o papa diante de autoridades políticas e religiosas na praça da Armas do Palácio presidencial Casa de Nariño, em Bogotá. "Que este esforço nos faça fugir de qualquer tentação de vingança e de busca de interesses apenas particulares e de curto prazo", continuou o chefe da Igreja Católica.

Ao declarar boas-vindas para François, o presidente colombiano Juan Manuel Santos aproveitou para pedir a paz no país. “Não adianta guardarmos os fuzis se continuamos armados em nossos corações. Não adianta acabar com uma guerra se continuamos a nos ver uns aos outros como inimigos”, disse o chefe de Estado.

Jovens devem continuar sonhando

O papa, que faz sua primeira viagem ao país desde o início do pontificado, também enviou mensagens para os jovens. "Atrevam-se a sonhar grande!", disse Francisco, que também ressaltou a importância do perdão, em uma Colômbia dividida por décadas de conflito armado. "Sua juventude também os torna capazes de algo muito difícil na vida: perdoar. Perdoar a quem nos feriu", declarou, do balcão do Palácio Cardinalício, junto à catedral de Bogotá, diante de uma multidão de jovens.

Francisco, frequentemente interrompido pelos aplausos dos cerca de 22 mil jovens que desde muito cedo chegaram à praça, também pediu que não temam o futuro. "Que suas ilusões e projetos oxigenem a Colômbia e a encham de utopias saudáveis", afirmou, clamando ainda que "não se deixem roubar a alegria e a esperança".

Antes de seu discurso, Francisco quebrou o protocolo em seu percurso a pé até o palácio, onde se recolheu em oração ante a Virgem de Chiquinquirá, e parou para tirar selfies, abraçar crianças e abençoar inúmeros fiéis.

Viagem continua em Villavicencio, Medellín e Cartagena

Na sexta-feira (8), ele viaja ao sul do país, onde vai se encontrar com seis mil vítimas da violência. O papa também vai fazer uma grande oração pela paz e pelo respeito ao meio ambiente, já que Villavicencio é a porta de entrada para a reserva natural mais bem conservada da Colômbia.

No sábado (9), ele irá a Medellín, uma das cidades mais católicas do país, e terminará sua visita na histórica cidade de Cartagena, no domingo. Em todas as cidades, além das missas, se encontrará com beneficiários de obras sociais, como jovens ex-combatentes, órfãos e crianças que se recuperam da exploração sexual.

Há 30 anos a Colômbia não recebia a visita de um papa.