rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Imigrantes Donald Trump Airfrance Estados Unidos Voos Segurança aérea Companhia aérea

Publicado em • Modificado em

Companhias aéreas adotam novas medidas de segurança em voos para EUA

media
Passageiros passam por área especial no aeroporto JFK, em Nova York. REUTERS/Eduardo Munoz

As companhias Emirates, Air France e Norwegian confirmaram nesta quarta-feira (25) que as autoridades norte-americanas exigiram controles mais duros dos passageiros e outras empresas aéreas emitiram comunicados confirmando sua aplicação.


As companhias aéreas internacionais começarão nesta quinta-feira (26) a aplicar novas regras de segurança e a aplicar questionários mais detalhados a passageiros antes de embarcarem em voos para os Estados Unidos.

Há poucos detalhes sobre as novas disposições, anunciadas após o governo do presidente Donald Trump exigir controles mais rigorosos em relação a refugiados e imigrantes.

A Emirantes anunciou que os passageiros serão submetidos a "entrevistas prévias ao check-in", enquanto a Air France afirmou que fará uma "entrevista de segurança" adicional. A Norwegian disse que seus passageiros serão instruídos por mensagens de SMS e que começará o check in quatro horas antes da saída de seus voos para os Estados Unidos.

Moratória sobre migrantes

Nesta terça-feira (24), Trump emitiu uma ordem executiva, dando fim à moratória sobre a chegada de refugiados, mas impôs novos controles para passageiros provenientes de 11 países, em sua maioria de população predominantemente muçulmana.

Antes, o governo tinha proibido o porte de laptops ou aparelhos eletrônicos grandes na bagagem de mão em voos vindos de certos países do Oriente Médio. Ele também tentou impor um bloqueio de vistos a alguns países, uma medida que está sendo avaliada pela Justiça.

A Casa Branca insistiu que os novos controles servem para proteger o país do terrorismo, mas críticos de Trump lhe acusam de impor medidas arbitrárias contra muçulmanos.