rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
  • Estilista Azzedine Alaïa morre aos 77 anos em Paris

Investigação Estados Unidos CBF Nova York

Publicado em • Modificado em

Julgamento de José Maria Marín, ex-presidente da CBF, começa em Nova York

media
O ex-presidente da CBF José Maria Marin será extraditado aos EUA nesta terça (03/11), depois de fechar um acordo com a justiça americana. Sidney Oliveira/ Ag. Pará

Começa hoje em Nova York o julgamento do ex-presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), José Maria Marin, por conta do escândalo de corrupção da FIFA. Ele é acusado de fraude e visado por uma investigação do FBI iniciada em 2011.


Eduardo Graça, correspondente da RFI em Nova York

O ex-cartola de 85 anos foi governador nomeado de São Paulo durante a ditadura e está desde 2015 em prisão domiciliar em Manhattan, em seu apartamento na luxuosa Trump Tower.

José Marin é um dos 42 dirigentes do futebol detidos depois que uma investigação do F.B.I., iniciada em 2011, os acusou de participar de um esquema de fraude da FIFA que teria desviado mais de US$ 200 milhões nos últimos vinte e cinco anos para os bolsos dos beneficiados. Ao contrário de outros 24 acusados detidos nos EUA, o brasileiro se declarou inocente.

Além de Marin, também serão julgados, na Suprema Corte do Brooklyn, o ex-presidente da Federação Peruana de Futebol, Manuel Burga, e o ex-vice-presidente da FIFA e comandante da Conmebol, que reúne os países da América do Sul, o paraguaio Juan Ángel Napout. Os dois também negam quaisquer malfeitos. O julgamento segue um rito complicado e lento, que poderá durar meses a fio.

Pena de até 20 anos

Hoje deverá ser apresentado e aprovado o júri popular responsável pelo veredito. No caso de ser considerado culpado, Marin e os outros dois dirigentes podem ser condenados a até 20 anos de prisão aqui nos EUA. O processo já é considerado o mais importante julgamento da história do futebol mundial.