rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Incêndio Los Angeles Celebridades

Publicado em • Modificado em

Incêndios destroem mansões de celebridades em Los Angeles

media
Helicóptero combate as chamas na vinícola do magnata da comunicação, Rupert Murdoch, no norte de Los Angeles. REUTERS/Gene Blevins

Residências milionárias estão em chamas em Los Angeles: incêndios florestais chegaram a regiões mais nobres da capital da Califórnia. Até a noite de quarta-feira (6), 200 mil pessoas tiveram que deixar suas casas no sul do Estado.


A televisão americana exibe imagens do luxuoso bairro de Bel-Air tomado por uma fumaça espessa. No local, moram a cantora Beyoncé e o bilionário Elon Musk.

Na mesma região, a vinícola do magnata da comunicação, Rupert Murdoch, foi atingida pelas chamas. Já o músico Lionel Richie cancelou um show que faria em Las Vegas para ajudar sua ex-mulher, Brenda Harvey, moradora do sul de Los Angeles, a deixar a casa onde mora - igualmente ameaçada pelas chamas.

A modelo Chrissy Teigen, casada com o cantor John Legend, é uma das celebridades que teve que deixar sua residência às pressas. "Nunca acreditaria que um dia brincaria de: o que você levaria de sua casa se houvesse um incêndio?", tuitou.

200 mil pessoas evacuadas

No total, mais de 200 mil pessoas tiveram que deixar suas residências em Los Angeles desde que novos incêndios florestais foram registrados no início desta semana. A zona exclusiva atravessada pela Mulholland Drive no norte e Sunset Boulevard no sul foi completamente evacuada.

Os ventos de 130 km/h registrados no Estado obrigaram as autoridades a aumentar o alerta para o mais alto possível. "Mantenham-se vigilantes e prontos para deixar suas casas a qualquer momento. Se vocês perceberem que não estão em segurança, deixem o local", aconselhou a agência californiana de luta contra os incêndios Cal Fire.

O governador da Califórnia, Jerry Brown, declarou estado de emergência em Ventura, enquanto o presidente Donald Trump disse que suas "orações" estavam com os atingidos, lembrando que "ouçam os conselhos e ordens das autoridades".

Ar irrespirável

Uma espessa fumaça preta tomou na quarta-feira uma boa parte da cidade, preocupando as autoridades sobre a qualidade do ar. Uma coluna de cinzas podia ser avistada a quilômetros de distância no céu.

Dezenas de escolas e universidades fecharam suas portas e suspenderam as aulas. Na prestigiosa universidade Ucla, estudantes utilizavam máscaras respiratórias na quarta-feira pela manhã e as atividades foram suspensas no turno da tarde.

Outra preocupação era com as obras do centro cultural Getty Center, que abriga telas de artistas como Manet e Rembrandt. De acordo com a direção do local, um sistema que filtra o ar protegeu, até o momento, as pinturas da fumaça.

Pior ano para a Califórnia

O maior dos focos de incêndio registrados até agora no sul da Califórnia foi nomeado como Thomas, no condado de Ventura. Ele ameaça 12 mil casas e comércios e é responsável pela morte de uma pessoa desde o início desta semana.

2017 foi o ano mais mortal na Califórnia devido aos incêndios. Mais de 40 pessoas morreram no mês de outubro devido a chamas que devastaram a região norte do Estado e destruíram mais de dez mil residências.