rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Peru Política Alberto Fujimori

Publicado em • Modificado em

Peru: ministro da Cultura se demite em reação ao indulto concedido a Fujimori

media
Ministro peruano da Cultura deixou o cargo nesta quarta-feira (27). Dilvugação

O ministro peruano da Cultura, Salvador del Solar, se demitiu nesta quarta-feira (27) em reação ao perdão concedido ao ex-presidente Alberto Fujimori, condenado por crimes contra a humanidade.

O ator e diretor de cinema, de 47 anos, que sempre se opôs às decisões favoráveis a Fujimori, comunicou sua saída do governo em sua conta no Twitter: "Eu enviei minha demissão como Ministro da Cultura".


Essa é a primeira renúncia no governo de Pedro Pablo Kuczynski desde a sua determinação, no último domingo, de conceder uma "graça humanitária" ao ex-presidente, condenado em 2009 a 25 anos de prisão.

Três deputados do partido de Kuczynski deixaram a legenda em protesto contra a decisão. O presidente executivo da televisão pública e rádio do Peru, Hugo Coya, disse à AFP que ele também renunciou ao cargo.

"Perdão sincero"

A determinação do presidente provocou manifestações de peruanos que acreditam que Kuczynski tenta permanecer no poder com o apoio de simpatizantes de Fujimori, enquanto o país andino ainda está traumatizado pelos abusos cometidos durante seu mandato, entre 1990 e 2000.

O ex-homem forte do Peru, de origem japonesa, foi considerado responsável pelo assassinato de 25 pessoas que morreram nas mãos de um esquadrão da morte. Ele já cumpriu 12 anos de prisão. Na terça-feira (26), Alberto Fujimori, de 79 anos, pediu "perdão sincero" por "decepcionar alguns de seus compatriotas".

Esquema Odebrecht

Kuczynski escapou por pouco de um impeachment na semana passada depois de receber apoio parlamentar de parte do movimento político fundado por Fujimori.

O presidente do centro-direito foi culpado por seus vínculos com o Odebrecht, que admitiu ter pago quase US$ 5 milhões para empresas de consultoria diretamente ligadas a Kuczynski, entre 2004 e 2006, quando ele era ministro.

Em meados de dezembro, o ministro do Interior renunciou ao gargo depois de  denunciar esse escândalo.

Mobilização nacional

Famílias de vítimas da repressão de Fujimori, partidos políticos e grupos de direitos humanos se preparam para um grande protesto nesta quinta-feira (28) contra a decisão de Pedro Pablo Kuczynski. "Esta é a segunda vez que eu confio em um presidente e ele está me traindo", disse Rosa Rojas, que perdeu seu marido e filho de oito anos assassinados por soldados em 3 de novembro de 1991.

Uma associação local de direitos humanos anunciou que apelou à Corte Interamericana de Direitos Humanos, com sede em San José, na Costa Rica, para que analise o indulto presidencial.