rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
Linha Direta
rss itunes

Acidente abala Carnaval de Oruro, Patrimônio da Humanidade

O governo boliviano realizou uma série de investimentos em Oruro, onde é celebrado o mais tradicional carnaval do país e um dos mais atrativos da região, mas uma explosão que matou pelo menos 8 pessoas tirou o brilho da festa, que todos os anos reúne milhares de turistas, vindos de várias partes do mundo.

Elianah Jorge, correspondente da RFI em Bolívia

O Carnaval de Oruro é considerado pela Unesco Patrimônio Oral e Imaterial da Humanidade. Esse ano o governo boliviano instalou em Oruro, a sexta maior cidade do país, um sistema de teleféricos, a cerca de 3.700 metros do nível do mar.

De acordo com o Ministério de Turismo da Bolívia, até domingo, pelo menos 45 mil pessoas participaram da festa de carnaval, que movimenta anualmente US$15 milhões (cerca de R$ 49 milhões). A festa folclórica na verdade é uma homenagem à Pachamama, como é chamada a Mãe Terra na cultura andina. Para agradecer essa divindade, os bolivianos tocam e dançam animadamente para agradecer as colheitas de todo o ano.

Diversas pessoas se reúnem nas "fraternidades", como são chamados os blocos de carnaval, que desfilam dia e noite por um percurso até o santuário da Virgem de Socavón. O carnaval de Oruro reflete as tradições de diversas culturas bolivianas, seja através das roupas e dos ritmos musicais, que podem ser os tinkus, as morenadas, as diabladas e os caporales.

Explosão estraga festa

Esse ano, a festa foi afetada pela explosão que matou oito pessoas e deixou pelo menos 40 feridos. O acidente aconteceu na noite deste sábado (10), em uma venda de comida ambulante localizada nas proximidades da entrada do local dos desfiles.

De acordo com testemunhas, a explosão aconteceu após o óleo quente usado no preparo de alimentos ter caído sobre a mangueira de um botijão de gás, que acabou explodindo.

O presidente Evo Morales não foi a Oruro, mas enviou uma mensagem de solidariedade aos familiares das vítimas e aos feridos na explosão. O país sofre com as chuvas e recentemente o presidente declarou estado de emergência por causa das enchentes que, desde novembro do ano passado, afetam sete regiões da Bolívia e já causaram a morte de pelo menos 14 pessoas em diversas partes do país. Há poucos dias, Morales visitou a cidade de Tupiza, localizada ao sul do departamento de Potosí, bastante afetada pelas chuvas.
 

Brexit: Parlamento britânico está dividido sobre acordo entre May e UE

Brasileiros da Cisjordânia estão indignados com possível transferência da embaixada do Brasil para Jerusalém

Senado italiano aprova projeto para reduzir proteção humanitária a imigrantes

Lisboa recebe Web Summit, conferência de inovação digital que reúne estrelas do setor

Moro deixa a posição de quase semideus e passa a ser ministro em cenário conturbado, diz cientista político

Para Turquia, morte de Khashoggi não poderia ter ocorrido sem ordem do alto escalão saudita

Republicanos e democratas rejeitam veto de Trump para cidadania por nascimento

Tensões geopolíticas com morte de jornalista geram incertezas à economia saudita e da região

Em meio à onda militarista de Bolsonaro, Chile e Uruguai punem insubordinações de militares

Reino Unido: movimento para novo referendo sobre Brexit cresce, mas premiê nega nova consulta

Extrema direita alemã cria plataforma para controlar debate político nas escolas