rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
Brasil-Mundo
rss itunes

Cineasta brasileiro lança nos EUA filme com elenco de atores negros

Por Cleide Klock

Através do riso, ele quer fazer a gente pensar. E, com a obra que é carimbada como uma comédia, retrata o drama da vida e acima de tudo a realidade do dia a dia de ser negro no Brasil.

Correspondente da RFI em Los Angeles

O cineasta Jeferson De acaba de fazer a estreia mundial do filme "Correndo Atrás", em Los Angeles, no Pan African Film Festival, a maior e mais prestigiada mostra de arte e de cinema negro das Américas, que começou no dia último dia 8 e termina nesta segunda, 19 de fevereiro. O longa-metragem tem como diferencial o fato inédito de ter levado à tela um elenco quase todo formado por atores negros brasileiros. Por trás das câmeras, a mesma coisa, e a equipe de produção, e principalmente os diretores, assim como Jeferson, também são afrodescendentes.

"A gente acha importante mostrar um Brasil ligado à cultura negra, com pessoas negras na tela e que, no entanto, a violência não é a protagonista. Os protagonistas são as pessoas, homens e mulheres comuns, trabalhadores construindo esse Brasil. Porque a impressão que dá é que sempre que a gente vai para a favela, que tem pessoas negras, sempre tem o tiro, a polícia, a violência. Então, o filme é uma declaração de amor e uma ode à alegria, embora a gente tenha muita tristeza e ressentimento, mas talvez a gente consiga transformar tudo isso em alegria."

Para o cineasta, esta foi uma forma de mostrar o trabalho e também protestar contra a falta de inclusão no meio cinematográfico.

"Politicamente era importante mostrar o que a gente é capaz de fazer e que a gente já conta com uma equipe experiente no Brasil, fazendo filmes, e que nem sempre ocupa o espaço de poder na cadeia cinematográfica."

O primeiro levantamento da Agência Nacional do Cinema (Ancine) a contemplar dados sobre raça acaba de ser divulgado e revela em números essa disparidade. Lembrando que 54% da população brasileira é formada por afrodescendentes, o estudo feito a partir dos filmes lançados em 2016 mostra que 75,4% das produções analisadas foram dirigidas por homens brancos, 19,7% por mulheres brancas e 2,1% por homens negros. Nenhuma mulher negra aparece na estatística.

Dentre a equipe de produção, os números são similares e na atuação de 97 filmes de ficção, 42,3% não têm nenhum ator ou atriz negra no elenco. Jeferson De conta que o relatório foi uma resposta da Ancine à pressão feita pelos produtores brasileiros que acabam de fundar a primeira associação nacional de produtores negros na história do país.

Israel: brasileira ensina hebraico online para recém-chegados e fãs do Velho Testamento

Empresária brasileira aposta em brigadeiros para conquistar consumidores israelenses

Em Portugal, brasileiros são os imigrantes que mais recorrem a programa de retorno ao país de origem

Brasileiros expatriados criam canais nas redes sociais com dicas sobre viver em Portugal

Cineasta brasileiro apresenta filme sobre ator uruguaio George Hilton em festival de Milão

Jovem talento de Paraisópolis tem experimento testado em parceria com a Nasa

Estilista Napoleão César celebra carreira na Itália com explosão de cores

Visão modernista do paisagista Burle Marx é destaque em exposição em Nova York

Brasileiro de 13 anos é primeiro sul-americano no principal concurso de violino do mundo

Brasil disputa mercado de locações de filmagens em Hollywood, mas ainda é pouco competitivo

Forró vira mania em Portugal e brasileiros investem no mercado do baião

Nacionalismo dos húngaros leva cineasta brasileiro a produzir filme na Alemanha

UE tem problema de comunicação e não desperta paixões, diz brasileira especialista em política europeia

Escritor ítalo-brasileiro cria associação para ajudar estrangeiros na Itália

Ítalo-brasileira disputa vaga de eurodeputada para ser "a voz da Amazônia" no Parlamento Europeu

Executiva brasileira lança em Londres rede social inédita sobre ansiedade no trabalho