rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Educação Coreia do Sul Poluição Saúde Tecnologia

Publicado em • Modificado em

Poluição na Coreia do Sul faz crianças seguirem aulas virtuais de educação física

media
Nascer do sol em Seul, capital da Coreia do Sul, em meio a nuvens de poluição (março 2017) Getty Images/SeongJoon-cho

O ar está tão tóxico na Coreia do Sul que muitas escolas tiveram que encontrar um meio de minimizar os problemas causados pela forte poluição. Sem poder brincar do lado de fora, as crianças estão praticando esportes em salas virtuais. Já a poluição não para de se estender pelo país.


Frédéric Ojardias, correspondente da RFI em Seul

Na sala de aula câmeras por todos os lados. Em uma das paredes um telão gigante chama a atenção das crianças que tentam acertar alvos móveis com uma bola.

O jornal Korea Herald descreve a cena que se repete quase todos os dias na escola Banghak em Seul. A ideia é substituir as aulas ao ar livre quando o nível de partículas finas se torna prejudicial à saúde. Segundo o ministério dos esportes, a tecnologia já foi testada em 10 escolas e outras 178 utilizarão o sistema até o fim do ano. O valor do projeto está orçado em € 5 milhões.

Poluição, tema central das eleições

A reitoria de Seul prometeu que até 2020 todas as creches e escolas terão purificadores de ar. Uma promessa que mostra a preocupação da população: os picos de poluição se multiplicaram nas últimas semanas e o assunto se tornou o tema central das eleições municipais de junho.

A poluição é tanta que começou a fazer parte do cotidiano das pessoas. Os pais verificam o nível de partículas finas todas as manhãs para decidir se deixam as crianças brincarem do lado de fora. Como em outras cidades asiáticas, nas ruas de Seul, muitos usam máscaras. O acessório se tornou um dos mais vendidos, sem esquecer os purificadores de ar.

Paralisação nos esportes

No começo de abril, pela primeira vez na história, três partidas de baseball profissional foram canceladas por causa da poluição. O mesmo vai acontecer no futebol. Em declarações à agência Reuters, Kim Hae-kyung, responsável da associação de futebol da Coreia explicou que a logística de alterar um jogo de futebol é "mais difícil, mas o objetivo é proteger a saúde de jogadores, adeptos e elementos da organização que estejam nos jogos".

Novas usinas a carvão

Essas partículas cancerígenas são produzidas principalmente por usinas a carvão e pelos veículos motorizados. Uma parte da poluição vem dos centros industriais chineses trazida pelos ventos.

Apesar da forte poluição, o governo pretende construir mais nove usinas, o que acabou gerando uma forte polêmica no país. "As partículas finas matam pessoas todos os dias e o assunto é mais grave do que a ameaça nuclear vinda da Coreia do Norte" afirma um editorialista do jornal Joogang, que fala de um "desastre nacional" e acusa o governo de não se esforçar para encontrar soluções efetivas.

Para muitos, as salas virtuais e os purificadores de ar não passam de soluções paliativas já que o aumento do consumo de energia acaba contribuindo para o aumento da poluição.