rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
  • Brasil/Itália : Bolsonaro afirma que vai extraditar italiano Cesare Battisti se for eleito
RFI CONVIDA
rss itunes

"Quem ganha mais, deveria pagar mais imposto no Brasil", diz especialista da USP

Por RFI

O RFI Convida entrevistou nesta quinta-feira (19) Maria Antonieta del Tedesco Lins, professora-associada do Instituto de Relações Internacionais da USP, especializada em Economia e Administração Pública. Ela foi uma das convidadas do Instituto de Negócios Internacionais de Roma para falar sobre a crise econômica na América Latina.

Raphael Belicanta, correspondente da RFI em Roma

"Muitas crises econômicas são desencadeadas por algum choque. Nunca sabemos direito quando vai acontecer. O movimento nos mercados financeiros começa a ficar intenso, eufórico demais, mas ninguém quer sair até lucrar, até o último momento", explica a professora de Relações Internacionais da USP.

"É mais fácil entrar na crise do que sair dela", afirma Maria Antonieta del Tedesco Lins. Para a professora, as políticas anticrise são sempre dolorosas e restritivas. "Em tempos de crise econômica, as políticas acabam tendo um peso grande sobre o cidadão e as famílias. O ideal seria uma política que equilibrasse um pouco, porque não é só o setor privado que paga por essa crise, mas as famílias e o Estado", avalia.

Estabilidade econômica no Brasil?

Qual o segredo de uma estabilidade econômica duradoura? "No caso do Brasil, uma série de propostas estão sendo elaboradas. Uma série de reformas estão na agenda. No caso da reforma da Previdência, considero que exista uma desigualdade muito grande no tratamento de categorias do setor público, que faz com que essa reforma seja intragável para trabalhadores do setor privado, o tratamento que se dá a militares, ao Judiciário. No quadro político em que o Brasil vive isso é inaceitável", aponta a professora.

Maria Antonieta avalia que a reforma previdenciária é necessária, "mas ela precisa pegar mais gente". "Mesmo que o efeito seja relativamente pequeno em termos de participação no PIB, porque isso a torna mais aceitável para a sociedade", afirma.

"Fora isso, é necessário que quem ganha mais, pague mais imposto no Brasil", defende a professora. "A reforma tributária, da qual se fala muito, fazer a revisão dos impostos diretos, os mais regressivos, que incidem sobre todas as pessoas com a mesma alíquota, é uma coisa politicamente muito difícil e nada indica que estamos caminhando nesta direção", conclui Maria Antonieta del Tedesco Lins.

* Para ouvir a entrevista na íntegra, clique na foto acima

“Minha música é um engajamento pela liberdade”, diz gaúcho radicado na França

“Apenas distanciamento histórico vai explicar o que deu errado no Brasil”, diz cineasta Filipe Galvon

"Brasileiros querem coisas novas, mesmo que elas piorem para depois melhorar", diz Luiz Olavo Baptista

Jussara Korngold: "Brasileiros contribuiram para entrada do espiritismo nos EUA"

Documentário sobre ocupação do prédio do IBGE durante Rio 2016 é lançado na França

“Brasil virou um território da burrice”, diz escritor Bernardo Carvalho

“Há uma crença de que um regime mais militarizado colocaria ordem no Brasil”, diz historiadora da USP

Campanha da extrema direita mergulha Brasil em momento regressivo, diz especialista em segurança

"Faremos políticas públicas de alto impacto e baixo custo", diz cocandidata da Bancada Ativista de SP

Bolsonaro é produto de "avacalhação" da democracia brasileira, diz analista

Tudo o que você precisa saber para votar nas eleições brasileiras de 2018 em Paris

“Eu quis mostrar o ciclo criminoso que persiste no sertão brasileiro”, diz cineasta Eduardo Morotó em Biarritz

“Era inimaginável ver alguém defendendo a volta da ditadura, como hoje no Brasil”, diz a cineasta Flávia Castro

“Bolsonaro representa a banda podre do Brasil”, diz cartunista Adão Iturrusgarai

Bela Gil em festival Slow Food na Itália: “É importante conhecer quem produz o alimento”

Sabores do Brasil recebe “30% de brasileiros saudosos e 70% de franceses curiosos” em Paris

Inimigo no fascismo brasileiro é o pobre, diz pesquisadora do voto em Bolsonaro

Cantor Renato Fagundes traz a Paris tradição e modernidade da cultura gaúcha