rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Venezuela Nicolás Maduro Pobreza Crise América Latina

Publicado em • Modificado em

Venezuelanos protestam após vídeo de Maduro comendo churrasco na Turquia

media
O presidente venezuelano Nicolás Maduro, no centro da imagem, junto com o turco Nusret Gökçe, conhecido como "Salt Bae". Reprodução Youtube

Dois dias após a divulgação dos vídeos do presidente venezuelano Nicolás Maduro comendo churrasco em um sofisticado restaurante de Istambul, na Turquia, as imagens continuam causando polêmica. Além das críticas e muitas sátiras nas redes sociais, a população nas ruas da Venezuela se revolta com as cenas, protagonizada em um momento em que o país sofre com a falta de alimentos durante uma das piores crises de sua história.


Julien Gonzalez, correspondente da RFI em Caracas

O jantar de luxo de Maduro ficou atravessado na garganta dos venezuelanos. Além das redes sociais, o assunto ganhou as ruas do país.

“Tem muita gente morrendo de fome aqui, vasculhando o lixo para comer e crianças morrendo desnutridas”, lembra Isbel, moradora de Caracas. “Enquanto isso, ele come nesse restaurante e age como se nada estivesse acontecendo”, se irrita a jovem. Para ela, que ganha um salário mínimo com o qual não consegue sobreviver dignamente, as cenas filmadas em Istambul são um “ato indecente” e uma falta de consciência do presidente sobre o sofrimento da população. “E o pior é que ele vai continuar fazendo isso. Ele não está nem aí”, desabafa.  

A mãe de família Maria se diz enojada após ter visto as imagens. “Enquanto ele se dá ao luxo, nós não temos a possibilidade de dar carne para nossos filhos. Há duas semanas eu não como carne. Eu e meu filho emagrecemos nesses últimos meses, como muitos venezuelanos. Todos os presidentes abusam, mas esse ultrapassou os limites”, se revolta. De acordo com uma pesquisa das principais universidades da Venezuela, 60% da população venezuelana perdeu uma média de 11 quilos devido a uma dieta deficiente em proteínas.

Para Maria ela, é preciso uma mobilização popular. “Diante desses vídeos, eu acho que devemos ir às ruas e protestar”.

As imagens também suscitaram reações do lado da oposição. O ex-presidente da Assembleia Nacional Julio Borges condenou o jantar que, segundo ele, foi pago com “dinheiro roubado do povo venezuelano”.