rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
Linha Direta
rss itunes

Incêndios deixam mais de 30 mortos e 200 desaparecidos na Califórnia

Com mais de 30 mortos e 200 pessoas desaparecidas, o estado americano da Califórnia sofre com o pior incêndio de sua história. As imensas chamas já devastaram dezenas de milhares de hectares em diferentes áreas e cerca de 6,5 mil casas foram reduzidas a cinzas. Mais de 4 mil bombeiros lutam contra o fogo nesta segunda-feira (12) e o foco mais ativo neste momento é o de Malibu. As autoridades temem que fortes ventos previstos para o início desta semana piore a situação.

Cleide Klock, correspondente da RFI em Los Angeles

São três grandes focos de incêndio que estão queimando simultaneamente em diferentes regiões aqui da Califórnia. O maior de todos é no norte do estado, na cidade de Paradise, que fica a cerca de 200 quilômetros da capital Sacramento. Essa é uma cidadezinha pequena, com uma população idosa, já que é um destino para aposentados, o que aumentou ainda mais o drama, já que muitos têm dificuldade de locomoção, o fogo se espalhou rapidamente e as casas precisaram ser evacuadas imediatamente. 

A região também é cercada de canyons, morros, e muita gente ficou presa nas rodovias dentro dos carros. Cerca de 220 pessoas continuam desaparecidas só nessa região, e esse incêndio já é considerado o pior da história da Califórnia em termos de destruição de propriedades. Calcula-se que 90% da cidade foi devastada: mais de 6.450 casas e pelo menos 260 prédios comerciais foram queimados. Cerca de 52 mil pessoas tiveram que deixar suas residências na região

Os outros dois focos estão na área metropolitana de Los Angeles. Um deles é em Thousand Oaks - cidade que já viveu um pesadelo na quarta passada quando um atirador matou 12 pessoas em uma casa noturna. O outro é na famosa praia de Malibu, destino turístico famoso por ter várias casas de celebridades. Esse é o incêndio mais ativo nesta segunda-feira, apenas 15% das chamas deste local foram extintas até o momento. 

Celebridades deixaram suas casas

As cantoras Lady Gaga, Cher, a socialite Kim Kardashian, o diretor Guillermo Del Toro e os atores Will Smith e Gerard Butler afirmaram nas redes sociais que tiveram que deixar as residências. Butler inclusive postou fotos de parte da casa dele destruída no domingo (11).

Nessas regiões de Malibu e Thousand Oaks, que ficam relativamente perto de Los Angeles, cerca de 180 casas já foram destruídas, além de parte de uma universidade, de um hospital e do Paramount Ranch - que é uma famosa cidade cenográfica que simula o Velho Oeste, onde foi rodado parte da série West World da HBO. 

Em Los Angeles, no sábado (10), a cidade inteira era só fumaça e o ar estava irrespirável. Muitas pessoas utilizaram máscaras para sair na rua. A umidade do ar em algumas áreas está em 4%, o que piora a situação. Ainda há o temor que com a previsão de ventos de 70 km/h, ac chamas continuem se propagando. 

Em todos os casos, as causas dos incêndios ainda estão sendo investigadas e 300 mil pessoas continuam fora de suas casas. 

Trump critica gestão florestal

A Califórnia é um estado historicamente democrata, partido adversário do presidente americano, Donald Trump. No fim de semana, ele declarou que bilhões de dólares em verbas federais são repassados para o governo estadual e que os incêndios acontecem por causa da má administração das florestas. Ele ainda ameaçou cancelar os repasses federais, caso a situação não seja melhor administrada.

As afirmações do presidente provocaram reações de políticos, associações do corpo de bombeiros e celebridades, que além de argumentarem que muitos dos incêndios são provocados pelo homem, ou pela ocupação urbana, eles também são resultado do aquecimento global - o que o Trump não acredita que exista. 

Reino Unido: imbróglio do Brexit e crise com Irã à espera do novo primeiro-ministro

Escândalo de corrupção envolvendo partido de Salvini e Rússia balança governo da Itália

Venezuela: crise econômica faz homicídios caírem porque armas custam caro demais

Nova presidente da Comissão Europeia quer continente neutro em carbono até 2050

Mercosul discute reformas internas para enfrentar concorrência europeia

Patrimônio da Unesco, Festival Naadam festeja séculos de tradição nômade na Mongólia

Campanha eleitoral começa na Argentina com Brasil e EUA reforçando apoio a Macri

Após aprovação de texto-base, deputados votam destaques que podem mudar reforma da Previdência

Para evitar gravidez precoce, projeto investe em visita de jovens jogadoras brasileiras à Holanda

Favorito, Johnson enfrenta Hunt em 1° debate na TV entre candidatos a premiê no Reino Unido

Terremotos na Califórnia reavivam medo de "Big One", tremor com consequências trágicas

ONGs aplaudem relatório da ONU sobre Direitos Humanos na Venezuela e pedem justiça

Mais de 1,4 milhão de refugiados vão precisar de reassentamento até 2020, diz agência da ONU

Central sindical argentina classifica acordo UE-Mercosul como “industricídio”

Prisão da capitã do navio "Sea-Watch 3" divide opinião pública da Itália

Com recusa de Salvini, navio humanitário Sea-Watch volta a águas internacionais

Foto de pai e filha mortos ressalta drama humano no debate sobre a imigração nos EUA