rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Estados Unidos México Fronteiras Migrantes Donald Trump

Publicado em • Modificado em

Depois de confusão com migrantes, EUA reabrem passagem na fronteira com o México

media
Centenas de centro-americanos da caravana de migrantes tentaram neste domingo (25) pular a cerca fronteiriça que separa o México dos Estados Unidos, em Tijuana REUTERS/Adrees Latif

O governo dos EUA reabriu a passagem de San Ysidro, que liga San Diego à cidade mexicana de Tijuana, depois de manter o local fechado por algumas horas em razão da tentativa de centenas de migrantes de pular a cerca de proteção que separa a fronteira entre os Estados Unidos e o México.


Depois de várias horas de fechamento, o posto de fronteira reabriu para os pedestres e depois para os carros. Alguns trechos ainda continuam fechados, segundo o correspondente da RFI em Nova York, Grégoire Pourtier. Isso porque o governo americano está instalando novos materiais para reforçar a segurança.

Cerca de 500 migrantes tentaram atravessar no domingo em Tijuana a fronteira entre o México e os Estados Unidos. Eles deixaram um abrigo onde estão instalados mais de 5 mil pessoas e subiram em uma das cercas na fronteira.

Os guardas americanos reagiram usando bombas de gás lacrimogêneo.Um migrante que pediu para não ser identificado denunciou o uso de balas de borracha pelos americanos. Cerca de 40 migrantes foram detidos pelas autoridades mexicanas.

Reforço militar

O ministério do Interior mexicano advertiu em um comunicado que as pessoas identificadas que participaram nos atos violentos podem ser deportadas imediatamente. As autoridades de Tijuana anunciaram a detenção de 24 hondurenhos, assim como de 15 mexicanos acusados de tentativa de agressão contra os migrantes.

O presidente americano, Donald Trump, não esconde sua intransigência em relação aos migrantes clandestinos e candidatos ao asilo político. Cerca de 9 mil militares foram enviados para regiões fronteiriças entre México e Estados Unidos.