rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

México Presidente Esquerda

Publicado em • Modificado em

Novo presidente do México, Lopez Obrador promete mudança radical no país

media
O novo presidente do México, Andrés Manuel Lopez Obrador, em 1° de dezembro de 2018. REUTERS/Henry Romero

Andrés Manuel Lopez Obrador, também conhecido como “AMLO”, o primeiro presidente de esquerda da história recente do México, assumiu oficialmente suas funções neste sábado (1°). Ele prometeu combater a corrupção e liderar uma transformação "profunda e radical" do país.


"Pode parecer pretensioso, mas hoje começa não apenas um novo governo, mas um novo regime político", disse Obrador ao Congresso mexicano e a chefes de Estado e representantes diplomáticos estrangeiros na Cidade do México.

"A partir de agora, uma transformação pacífica e ordeira, mas profunda e radical, será alcançada porque acabaremos com a corrupção e a impunidade que impedem a revitalização do México", prometeu o novo chefe de Estado, enfatizando que "a política econômica e neoliberal foi um desastre, uma calamidade para o país ".

O novo presidente mexicano se diz comprometido em combater a corrupção e administrar rigorosamente as finanças públicas para lançar vários programas sociais e aumentar o salário mínimo.

Investimentos no setor público e privado

Lopez Obrador, apelidado de AMLO (suas iniciais), planeja lançar grandes projetos por meio de investimentos públicos e privados, como o "trem maia", que ligará as áreas turísticas do leste do país, na península Yucatan.

Muitos presidentes da América Latina, assim como o rei espanhol Felipe VI, o vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, e Ivanka Trump, filha do presidente americano, estiveram presentes na posse. O presidente venezuelano Nicolas Maduro - cujo convite provocou polêmica no México - chegou para o almoço após a cerimônia.

Depois de sua vitória arrebatadora na eleição presidencial de 1º de julho, e a maioria obtida pela coalizão liderada por seu partido Morena, em ambas as casas do Congresso, López Obrador terá a liberdade de transformar seu país. Sua vitória foi a maior desde o estabelecimento do sistema multipartidário em 2000, e a primeira para um candidato de esquerda.

Seus adversários, no entanto, temem que seu governo se transforme em uma forma de autoritarismo, e a crescente preocupação da comunidade empresarial nas últimas semanas derrubou o peso mexicano e a Bolsa de Valores do México.

“Dia histórico”

Depois de sua posse, o ex-prefeito da Cidade do México (2000-2005) chegou ao Palácio Nacional a bordo de seu carro, com pouca segurança. "Este é um dia histórico, eu ainda não consigo acreditar", disse Jose Angel Mejia, 38, perto da Câmara dos Deputados, onde veio com seu filho de oito anos assistir a chegada de AMLO.

No final da tarde, Lopez Obrador foi apresentado por um representante dos povos indígenas mexicanos, e participou de um ritual de purificação usando incenso e plantas tradicionais, gesto inédito para um chefe de estado mexicano. "Reafirmo meu compromisso de não mentir, não roubar ou trair o povo mexicano", disse AMLO para a multidão, segurando um "bastão", símbolo do poder que lhe é conferido pelas comunidades indígenas.

A cerimônia reuniu milhares de pessoas na praça central de Zócalo, onde fica o Palácio Nacional. O novo presidente planeja instalar seus escritórios no local, deixando a residência presidencial atual de Los Pinos. "Eu sei que ele vai tomar as decisões corretas. Ele não tem o direito de decepcionar, como ele mesmo diz", comentou Raul Sanchez, um contador de 28 anos.

Ao tentar impor um novo estilo, AMLO também anunciou a venda do avião presidencial, e prometeu limitar o número de seus guarda-costas, porque ele considera que "é protegido pelas pessoas". Ele também decidiu reduzir seu salário em mais da metade.