rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
  • Giuseppe Conte anuncia demissão do cargo de primeiro-ministro da Itália

Jamal Khashoggi Donald Trump EUA

Publicado em • Modificado em

Jornalista Jamal Khashoggi está entre as personalidades do ano da revista Time

media
Escolha da personalidade do ano pela revista Time Courtesy TIME magazine via Twitter

O jornalista saudita Jamal Khashoggi, assassinado em 2 de outubro no consulado do seu país em Istambul, foi eleito personalidade do ano pela revista americana Time, uma distinção compartilhada com outros repórteres nesta terça-feira (11). A morte de Khashoggi causou uma onda de indignação mundial e manchou a imagem da Arábia Saudita. O príncipe herdeiro Mohamed ben Salman, conhecido como MBS, nega qualquer envolvimento no crime.


Além de Khashoggi, a publicação homenageou a jornalista filipina Maria Ressa e os dois repórteres birmaneses da agência de notícias Reuters Wa Lone e Kyaw Soe Oo, atualmente na prisão. Outra homenageada foi a redação do jornal Capital Gazette, que sofreu com a morte de cinco de seus profissionais em um ataque em junho em Maryland, nos EUA.

É a primeira vez que jornalistas são eleitos personalidades do ano pela revista, que concede este título desde 1927. Além disso, nunca uma pessoa falecida havia sido nomeada a principal personalidade do ano. A revista Time decidiu publicar quatro capas diferentes de sua revista nesta semana, para destacar todos os jornalistas escolhidos.

A jornalista brasileira Patrícia Campos Mello, da Folha de São Paulo, foi citada no texto da revista americana. “No Brasil, a repórter Patrícia Campos Mello foi alvo de ameaças após relatar que apoiadores do presidente eleito, Jair Bolsonaro, financiaram uma campanha para disseminar notícias falsas no WhatsApp”, publicou a Time.

Trump era favorito

Os repórteres venceram Donald Trump, designado como personalidade do ano em 2016 e que ficou em segundo lugar na classificação no ano passado. O presidente dos Estados Unidos foi apontado pelas casas de apostas como favorito para este ano.

Esta é a segunda vez que a revista escolheu um grupo e não uma única pessoa. Em 2017, a publicação selecionou aquelas que "quebraram o silêncio" diante do assédio sexual, em meio a acusações contra homens poderosos em diferentes partes do mundo.

O procurador especial Robert Mueller, encarregado de investigar a possível ligação entre a equipe de campanha de Trump e a Rússia na campanha de 2016, ficou em terceiro lugar na classificação de 2018.

Sean Penn vai fazer documentário sobre Khashoggi

O ator Sean Penn viajou em para Istambul em dezembro para começar seu projeto de documentário sobre Jamal Khashoggi. Segundo a agência de notícias estatal turca Anadolu, o ator americano e sua equipe registraram imagens diante da porta do consulado da Arábia Saudita. Em um vídeo postado pela mídia turca, é possível ver Penn conversando com um cinegrafista.

Sean Penn, de 58 anos, é um ator comprometido com a militância política e social, tanto nos Estados Unidos como em outros países. Ele foi extremamente criticado após uma entrevista com o narcotraficante mexicano Joaquin “El Chapo” Guzman.