rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Maconha Metrô Nova York

Publicado em • Modificado em

Legalização da maconha é apontada como solução para salvar metrô de NY

media
Metrô de Nova York pode ser salvo por economia gerada pela legalização da maconha Getty Images

Políticos da cidade de Nova York, nos Estados Unidos, apresentaram a ideia de utilizar os lucros e as taxas ligadas a uma eventual legalização da maconha para revitalizar o metrô da cidade, que se encontra em estado de deterioração. Uma teoria que apareceu no jornal New York Times e que foi até apoiada por economistas.


Com informações da correspondente da RFI em Nova York, Marie Bourreau

Fumar maconha para salvar o metrô de Nova York?”, é a interrogação, sem nenhuma intenção cômica, que o jornal New York Times publicou recentemente em uma de suas edições. A ideia surgiu de políticos da metrópole, que propõem o uso recreativo da erva para arrecadar fundos que seriam usados para modernizar a rede de metrô, em total decadência.

As autoridades estimam que poderiam conseguir até US$ 1 bilhão por ano com a atividade. Essa quantia, associada ao aumento do preço do bilhete unitário, que atualmente custa US$ 2,75, poderia permitir uma primeira rodada de reformas. Existe até a possibilidade de que um projeto de lei seja apresentado durante o mês de janeiro, algo que deixa os nova-iorquinos animados.

Diversos fatores permitiram a evolução dessa questão. Em primeiro lugar, a cidade é cercada por Nova Jersey e Massachussets, que já legalizaram o uso recreativo e médico da substância. Em seguida, as últimas eleições de meio de mandato deram maioria aos democratas, que são mais abertos a esse tema, no estado de Nova York. Por fim, a opinião pública é favorável em 65% a essa iniciativa.

População está pronta para aceitar qualquer projeto de melhoria real

A impressão, na verdade, é de que os moradores de Nova York estariam prontos para aceitar qualquer proposta que revigoraria realmente o metrô da cidade. São diversos os problemas pelos quais passam as linhas subterrâneas: atrasos, panes de sistema, problemas de sinalização, acidentes com passageiros, vagões lotados, plataformas destruídas. A locomoção em Manhatan se tornou um percurso de guerreiro – a menos que ocorra, como na série "Sex and The City", o tempo todo de táxi.

O pavor dos nova-iorquinos do metrô da cidade se tornou um verdadeiro conflito político. O New York Times até criou uma seção inteiramente dedicada a apresentar os problemas em torno do metrô. Já a rádio pública NPR lançou um podcast onde os passageiros contam suas piores experiências, tão absurdas que são divertidas. O objetivo dessas iniciativas é, obviamente, fazer pressão nas autoridades para que os trabalhos necessários, avaliados em US$ 40 bilhões e com duração de 10 anos, sejam feitos.

A discussão em torno do financiamento das reformas do metrô não é recente, mas se tornou politicamente sensível. A questão foi empurrada pelo governador do estado de Nova York, Andrew Cuomo, que visava uma reeleição no final de 2018.

Muitas foram as propostas, como o aumento do preço do pedágio para carros em Nova York, que custa atualmente US$ 15. Uma outra possibilidade seria aumentar o preço do bilhete para quem mora perto da primeira linha do metrô, levando em conta que os moradores dessa região têm mais dinheiro. Mas essas duas ideias não conquistaram tanto quanto o lucro da legalização da maconha, provavelmente porque a população quer escapar, o mais rápido possível, das “bad trips” do metrô atual.