rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Estados Unidos México Imigração Imigração ilegal Controle de Imigração Economia

Publicado em • Modificado em

Estados Unidos: Trump anuncia tarifas contra México por imigração ilegal

media
O presidente dos EUA, Donald Trump, fala na saída da Casa Branca em Washington, EUA, em 30 de maio de 2019. REUTERS/Kevin Lamarque

O presidente americano, Donald Trump, está ameaçando taxar os produtos mexicanos em 5% por mês a partir do dia 10 de junho, até atingir 25% em outubro. A ameaça vai se concretizar se o país não agir contra o fluxo de imigrantes que tentam atravessar a fronteira dos Estados Unidos, disse Trump.


O anúncio de Trump foi publicado em uma mensagem no Twitter no início da noite. Segundo a correspondente da RFI em Washington, Anne Corpet, o presidente ameaçou usar sua arma preferida, as taxas, na tentativa de diminuir a imigração mexicana.

O chefe de Estado americano tem tido dificuldades para aprovar leis no Congresso que endureçam a política migratória. O país registra atualmente um recorde de entrada de imigrantes. Com a decisão, Trump corre o risco de afetar empresas e consumidores americanos.

Decisão arriscada para o Tratado de livre comércio

O México exportou mais de US$ 364 milhões aos Estados Unidos no ano passado em bens manufaturados e, principalmente, produtos agrícolas. O aumento das tarifas terá repercussão nos preços nos EUA. A decisão de Trump também pode complicar a ratificação do Tratado de livre comércio entre os Estados Unidos, o Canadá e o México. O acordo visa justamente reduzir o tipo de taxas impostas pelo presidente americano.

No início do ano, Trump já havia ameaçado fechar a fronteira mexicana e impor tarifas sobre os carros importados, se o governo do país não tomasse medidas para interromper o fluxo das caravanas de imigrantes da América Central.

Reação mexicana

O governo do presidente mexicano, Lopez Obrador, reagiu às declarações de Trump, de acordo com o correspondente da RFI no México, Patrick-John Buffe. Segundo o vice-ministro das Relações Exteriores, Jésus Seade, a taxa de 5% seria “desastrosa” para o México.

O presidente Obrador enviou uma carta ao chefe de Estado americano explicando que “os problemas sociais” e de “imigração” não se resolvem com impostos ou medidas coercitivas. Ele também disse que evitará todo tipo de “embate”, propondo a Trump diálogo e ações prudentes e responsáveis.

Para os mexicanos, o anúncio dessa medida é inexplicável. Há duas semanas, o país comemorou a retirada das taxas sobre o aço e o alumínio impostas por Trump. As novas tarifas também preocupam os mexicanos porque podem ter graves consequências sobre a economia do país: 80% das exportações mexicanas são para os EUA. O México é o principal parceiro comercial dos americanos, na frente da China e do Canadá.