rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Bolívia OMS cachorro Defesa dos Animais

Publicado em • Modificado em

Milhares de cães vadios colocam capital da Bolívia em risco sanitário

media
Cachorros vadios nas ruas de La Paz. AFP Photos/Aizar Raldes

Dezesseis de agosto é dia de São Roque. Nesta data, a Bolívia também festeja o “dia dos cães”, que são os animais protegidos pelo santo católico. Mas neste ano, na capital La Paz, os melhores amigos do homem se transformaram em um grande problema. Milhares de cachorros vadios ocupam as ruas da cidade trazendo riscos sanitários e de segurança.


Com informações da correspondente da RFI na Bolívia, Alice Campaignolle

As estimativas indicam que cerca de 400 mil vira-latas vivem soltos nas ruas de La Paz e na cidade periférica de El Alto. Isso representa um número muito superior ao recomendado pela Organização Mundial de Saúde. Para preservar a saúde pública, a OMS aconselha um cachorro vadio para cada 10 habitantes. Na capital boliviana, a taxa é de 3 por 10. Em todo o país, ela é ainda mais elevada, atingindo 4 por 10.

As autoridades enfrentam um verdadeiro problema sanitário. Os cães andam em matilha e derrubam as lixeiras, espalhando lixo pelas ruas. Muitas vezes, eles são agressivos e, pior ainda, podem transmitir a raiva. Anualmente, centenas de casos da doença são detectados nos animais que, em 2017, provocaram a morte de 8 pessoas na Bolívia.

Prefeituras desesperadas

As prefeituras responsáveis por controlar a população canina nas ruas se sentem incapazes diante da dimensão do fenômeno. Os prefeitos reclamam que não têm o orçamento necessário para enfrentar o problema. As campanhas públicas de vacinação contra a raiva existem, mas elas não conseguem imunizar todos os animais.

Em La Paz, os cachorros vadios não são mais sistematicamente sacrificados desde 2015. A prática foi abandonada depois de denúncias de associações de proteção dos animais que falavam em um “biocídio”. São aliás essas ONGs que ajudam as prefeituras a enfrentar os problemas da superpopulação canina nas ruas da capital boliviana. Elas cuidam dos cachorros abandonados, os esterilizam e fazem campanhas de adoção.

«Cachorros comunitários»

Há casos interessantes de solidariedade em alguns bairros de La Paz, os chamados cachorros "comunitários". Vizinhos se reúnem e oferecem aos animais uma casinha, comida e cobertor no inverno. Muitas vezes, em caso de doença, eles ganham até uma consulta no veterinário.

Mas esta vida feliz, que lembra o "Vagabundo" do famoso desenho animado de Walt Disney, é a parte minoritária de uma realidade muito mais dura. As associações de proteção dos animais revelam que 80% dos cachorros vadios de La Paz teriam um dono irresponsável, que os deixa na rua o dia todo sem comida. Evidentemente, esses proprietários insensíveis não vacinam nem esterilizam seus bichos de estimação, denunciam as ONGs bolivianas.