rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Venezuela Rússia Nicolás Maduro Vladimir Putin

Publicado em • Modificado em

Maduro vai para Rússia garantir apoio de Putin na crise venezuelana

media
Nicolás Maduro se reuniu com seu aliado Vladimir Putin em dezembro de 2018. REUTERS/Carlos Garcia Rawlins

As autoridades de Moscou informaram que o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, visitará a Rússia em outubro para uma reunião com Vladimir Putin. O líder sul-americano busca apoio de parceiros internacionais diante da crise venezuelana.


"A visita está sendo planejada", disse o porta-voz do presidente Vladimir Putin, Dimitri Peskov. "E isso acontecerá em breve", acrescentou, recusando-se a fornecer datas precisas. Mas a agência de notícias Interfax informou que a visita de Maduro está marcada para o início de outubro.

Moscou realiza um fórum anual de energia de 2 a 5 de outubro, mas não ficou claro se Maduro participará do evento. O presidente venezuelano esteve na Rússia pela última vez em dezembro de 2018 para conversar com Putin.

Afetada pelos baixos preços do petróleo, pela má administração e pelo impacto das sanções dos Estados Unidos, a economia da Venezuela está em queda livre. Nesse contexto, Maduro busca o apoio de seus aliados, após vencer um segundo mandato presidencial no ano passado, em um pleito contestado por vários países da comunidade internacional.

Washington está promovendo a campanha que busca expulsar o presidente socialista e apoia o autoproclamado líder interino Juan Guaido, enquanto alguns países, liderados por Rússia e China, defendem Maduro incondicionalmente.

Os Estados Unidos impuseram um embargo de petróleo a Caracas para minar o regime de Maduro e pedem, repetidamente, a Moscou que retire seu apoio ao líder venezuelano. A Rússia rejeitou a solicitação, acusando Washington de querer liderar um golpe de Estado contrário ao Direito Internacional.

Parceria histórica

Rússia e Venezuela têm uma longa história de vínculos. O antecessor de Maduro, Hugo Chávez, conhecido por seus apaixonados discursos contra os Estados Unidos, sempre foi bem-vindo no Kremlin.

A Rússia é o segundo maior credor de Caracas, depois da China. Moscou investiu quantias significativas nos recursos petrolíferos da Venezuela. Já Caracas adquiriu armas russas no valor de bilhões de dólares.

(Com informações da AFP)