rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
  • Acordo do Brexit recebe apoio preliminar do Parlamento britânico

Economia Fusão Mercado Supermercado

Publicado em • Modificado em

Casino confirma ter barrado Abílio Diniz em Paris

media
O empresário brasileiro Abílio Diniz. Reprodução do jornal Le Figaro

Sem ser convidado, Abilio Diniz apareceu na reunião da diretoria do Grupo Pão de Açúcar com o Casino, em Paris. Foi barrado. Uma matéria assinada por David Friedlander do jornal O Estado de São Paulo conta que o presidente da controladora francesa do grupo, Jean-Charles Naouri, teria enviado um e-mail severo para o fundador do Pão de Açúcar que, entre outras coisas, o acusaria de tentar impor sua presença e causar tumulto na reunião.


Na mensagem, Naouri também teria dito ver Diniz como potencial concorrente, em alusão não só à desastrada tentativa do brasileiro de promover uma fusão com o Carrefour no ano passado, mas também às recentes investidas do empresário para negociar a venda de suas ações do Pão de Açúcar. A contrapartida que ele exigiria para se desfazer da participação, estimada em 6 bilhões e meio de reais, seria a subsidiária ViaVarejo, que controla as Casas Bahia e o Ponto Frio. Diniz levaria ainda 1 bilhão e meio de reais.

Este e-mail teria sido uma resposta a Diniz que, depois de esperar 40 minutos na sede do Casino em Paris, teria escrito para o presidente, afirmando que tinha não só o direito como o dever de participar da reunião. Teria dito ainda que consideraria uma ofensa grave e tomaria as medidas cabíveis, caso o impedissem de entrar.

Grégoire Lucas, diretor da empresa responsável pela comunicação do Casino, diz não saber se Jean-Charles Naouri teria enviado um e-mail curto e grosso a Abilio Diniz, mas confirma que o empresário brasileiro tentou participar da reunião. Porém, de acordo com Lucas, tratava-se de uma reunião padrão do conselho do Casino, em que se definiria a estratégia do Casino com relação ao Grupo Pão de Açúcar. Não se tratava, portanto de uma reunião do GPA.

"Como o senhor Diniz não faz parte do conselho do Casino", afirmou Lucas, ele não tinha porque participar desta reunião. As discussões levadas a cabo neste encontro diriam respeito somente à cúpula da controladora. Lucas afirmou, no entanto, que o fato recebeu muito mais destaque no Brasil do que na França - por isso, a empresa não emitirá nenhum posicionamento oficial sobre o incidente.

Diniz, que voa apenas em jatinho particular e fora do horário comercial, chegou a Paris na noite de domingo e ficou hospedado em um hotel na luxuosa avenida Champs Elysées. Valeu o passeio.