rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Dilma Rousseff Segundo Turno Brasil Eleições 2014 Aécio Neves Marina Silva

Publicado em • Modificado em

PSB se une a Aécio para “barrar” reeleição de Dilma, diz imprensa

media
Dilma Rousseff e Aécio Neves no último debate antes do primeiro turno na rede Globo. REUTERS/Ricardo Moraes

O PSB, partido de Marina Silva, decidiu apoiar Aécio Neves. A Executiva do partido reuniu-se nessa quarta-feira (8) e aprovou a proposta por 21 votos a favor do apoio ao tucano e 7 a favor da neutralidade no segundo turno. Para a imprensa francesa, essa aliança reflete o desejo do partido derrotado nas urnas de evitar a qualquer custo a reeleição da presidente Dilma Rousseff.


No segundo turno da eleição presidencial no Brasil, marcado para o dia 26 de outubro, tanto Dilma Rousseff (PT) quanto Aécio Neves (PSDB) disputam acirradamente os votos de Marina Silva, terceira colocada na disputa com 21,3% dos votos. Mas, para a imprensa francesa, a estratégia do partido de Marina Silva é clara: “impedir a reeleição de Dilma Rousseff”, escreve o jornal Le Figaro na sua versão eletrônica.

A reportagem destaca também as declarações de Beto Albuquerque, que concorria à vice-presidência na chapa de Marina Silva: “Dentro do PSB está claro que nós não vamos votar na Dilma”, sentenciou. A imprensa estrangeira destaca, porém, as divergências internas do partido no processo de decisão sobre o apoio ao candidato do PSDB.

O site da revista L’Express francesa também mencionou o apoio de outros pequenos partidos à candidatura de Aécio Neves, como o PPS, o PSC e o Partido Verde.

Já o jornal Ouest France noticia a decisão de Marina Silva que deve se pronunciar hoje. A Rede Sustentabilidade decidiu não apoiar a reeleição da presidente Dilma Rousseff em "hipótese nenhuma". No momento, a Rede recomenda voto nulo ou em Aécio Neves no segundo turno da eleição presidencial. Marina impôs condições para dar apoio ao tucano, mas a tendência é que ela oficialize hoje sua adesão à candidatura do PSDB.

Dilma e Aécio perdem em casa

Além de costurar novas alianças, os dois candidatos à presidência terão um desafio muito maior: convencer os eleitores de que eles são uma opção viável para resolver os problemas do país.

O blog Beyondbrics do Financial Times destaca “os desempenhos pífios” de Aécio Neves e Dilma Rouseff nos seus “berços eleitorais”. Para o jornal, é preocupante que Dilma tenha perdido “em partes de São Paulo que são, historicamente, conhecidas pelos seus elos com o PT como São Bernardo, onde o partido nasceu e onde o ex-presidente Lula ainda mora”.

O candidato do PSDB também não tem motivos para se orgulhar do resultado das urnas em Minas Gerais, onde foi governador por dois mandatos. No Estado, ele perdeu para a presidente Dilma Rousseff e “depois de 12 anos de governo do PSDB, o candidato do PT, Fernando Pimentel, ganhou a eleição para governador no primeiro turno, derrotando o candidato do PSDB, Pimenta da Veiga”, noticia o blog, que é especializado em países emergentes.

Esses resultados mostram um “cansaço” dos eleitores com os dois partidos, diz o texto. “Rousseff e Neves são candidatos muito diferentes, mas o desempenho dos dois no último domingo sugere que eles têm algo em comum. O descontentamento das massas que emergiu no ano passado contra a corrupção, os serviços públicos ruins e os gastos excessivos com a Copa do Mundo não morreu”, avalia o Financial Times.