rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

"Fitoterapia e alopatia podem andar juntas", afirma naturopata brasileira Rafaela Tillier

Por Márcia Bechara

O RFI Convida conversou com a naturopata e enfermeira brasileira Rafaela Tillier, radicada em Paris, que realiza a conferência "As virtudes terapêuticas das plantas da Amazônia" no espaço Krajcberg, no 15° distrito da capital francesa, uma iniciativa do Centro Cultural do Brasil, nesta quarta-feira (7). O evento faz parte do ciclo de conferências da "Semana da América Latina e do Caribe".

Para ouvir a entrevista na íntegra, basta clicar na foto da matéria

"A naturopatia é uma profissão que existe há dois mil e quinhentos anos pelo menos", explica a naturopata e enfermeira brasileira Rafaela Tillier, especializada em plantas amazônicas. "Na Itália, em Portugal e na Inglaterra, por exemplo, essa é uma prática não apenas regulamentada como também permitida dentro dos hospitais, ao contrário da França, que ainda está atrasada em relação à Europa", explica Tillier. "Aqui a profissão existe, mas o lobby das indústrias farmacêuticas ainda é um fator que pesa muito no cuidado com os pacientes", explica.

 "A vontade de falar sobre as plantas amazônicas aconteceu depois que eu cheguei aqui. Eu via muitas pessoas falando da Amazônia, começou a moda do açaí, e eu, como naturopata formada aqui na França, acabei me apropriando um pouco disso porque a riqueza que a gente tem é tão grande, que nós mesmos brasileiros não nos damos conta. Como naturopata é minha função mostrar aos franceses tudo o que a gente tem", afirma a profissional.

"Em termos de propriedades, por exemplo, nós temos o açaí, que é o fruto mais antioxidante do mundo. Temos ainda o camu-camu, que tem uma superpropriedade, uma alta concentração de vitamina C, 20 vezes mais vitamina C que a acerola. Temos ainda a castanha-do-pará. Dentro de apenas uma castanha, temos duas vezes a dose de selênio que precisamos por dia. Todos esses frutos são considerados como superalimentos, ou alicamentos, ou seja, medicamentos em forma de alimento", detalhou Rafaela.

"Acredito que a fitoterapia e a alopatia podem andar juntas. Não precisamos ser [exclusivamente] "naturebas", as duas coisas podem ser complementares. Esse é o segredo que deve ser revelado para as pessoas", especifica a naturopata. "Os franceses estão sempre abertos e curiosos ao que vêm do Brasil, especialmente da Amazônia, mas ainda não utlizam este conhecimento", afirma Tillier.

 

 

Governo ataca liberdade de expressão no Brasil e o povo não se dá conta, diz Leandro Demori, do Intercept

Fotógrafo brasileiro apresenta série sobre os desafios do Cerrado em Paris

Museu Internacional da Mulher será inaugurado em Portugal com curadora brasileira

Comitiva de indígenas brasileiros na Europa reforça campanha contra acordo UE-Mercosul

"Quero viver de arte", diz jovem pintora maranhense que expôs na França

Claudia Jaguaribe lança livros de fotografia sobre mulheres e meio ambiente em Paris

“Atualidade política e social do Brasil me inspirou”, diz Flávia Coelho sobre disco DNA

“Leiam escritores brasileiros vivos!”, pede Fred Di Giacomo, finalista do Prêmio SP de Literatura

Mestre da Arte Óptica, Marcos Marin expõe em Paris obras de Neymar e Santos Dumont

Curador expõe fotógrafos brasileiros da nova coleção da Biblioteca Nacional da França em "Terra Brasilis"

Palcos europeus recebem pela primeira vez a música-poesia de Arthur Nogueira

Revelação do violão brasileiro, João Camarero leva sofisticação do choro a plateias europeias

Do interior do Amazonas a digital influencer premiada em Mônaco: a história de Cacau Sitruk

Duo franco-brasileiro lança disco que mistura “Trem das Onze” e Erik Satie

“Meu trabalho é pela pacificação”, diz pintora brasileira que expõe em Paris

Luiza Brunet diz que “toda mulher é feminista”: “apanhar aos 50 foi gota d’água”

Feira de Frankfurt: “Brasil é o país das impossibilidades”, diz Luiz Ruffato