rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
Linha Direta
rss itunes

PT vai às ruas contra condenação de Lula, que pode ficar inelegível

A militância do PT decidiu ir às ruas protestar contra a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula de Silva na noite de quarta-feira (12). O juiz Sérgio Moro condenou o petista a nove anos e seis meses de prisão em regime fechado pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá. A força-tarefa da Lava Jato no Ministério Público Federal anunciou que vai recorrer para que a pena seja aumentada.

Luciana Marques, correspondente da RFI em Brasília

Logo que saiu a decisão, o PT convocou os militantes às ruas. Houve protesto em São Paulo ontem e outras manifestações foram marcadas para esta semana em várias capitais do país.

Os petistas dizem que Lula é inocente e foi condenado sem provas. Também alegam perseguição política para impedir a candidatura de Lula à presidência em 2018. Ele está em primeiro lugar nas pesquisas.

A ex-presidente Dilma Rousseff disse que a condenação de Lula é um escárnio e que o povo brasileiro saberá democraticamente resgatá-lo em 2018. Os advogados de Lula declararam que houve motivação política no julgamento e que vão provar a inocência do petista em cortes não tendenciosas, incluindo as Nações Unidas.

Protestos em todo o país

O líder do PT na Câmara, o deputado Carlos Zarattini, explicou como o partido está organizando as manifestações. "O PT está se organizando em todos os Estados, para que a gente compareça à porta dos fóruns de cada Estado, de cada cidade. Nós vamos fazer manifestações e protestos em todo o país. Queremos fazer um amplo movimento contra essa decisão política, fora do processo legal que foi tomada contra o presidente Lula pelo juiz Sérgio Moro."

Já presidente do PT, Gleisi Hoffmann, questionou o juiz Sérgio Moro no plenário do Senado. "Juiz Sérgio Moro não jogue o seu diploma no lixo. Não jogue sua história, o curso que fez. Vossa excelência é professor de uma das maiores universidades federais deste país, a Universidade Federal do Paraná. Não dê mau exemplo a seus alunos. Como que a vossa excelência condena o ex-presidente sem nenhuma prova? Qual é a prova que o tríplex é do presidente Lula a não ser os depoimentos, a não ser a convicção de Dallagnol? E a não ser sabe o que, juiz Sérgio Moro? A sua prestação de contas aos meios de comunicação e à opinião pública que vossa senhoria ajudou a formar contra o presidente Lula durante esses últimos anos?"

Oposição elogia decisão de Moro

Políticos do PSDB e do Democratas elogiaram a decisão do juiz Sérgio Moro. A senadora Ana Amélia, do PP, disse que a lei vale para todos. "Ele é um grande líder, foi um grande presidente. Mas isso não significa que ele seja ininputável e que ele esteja acima da lei, que ele seja melhor que outras pessoas que estão sendo julgadas."

O deputado Pauderney Avelino, do DEM, conversou com a RFI e elogiou a decisão de Moro. "A condenação do ex-presidente Lula pelo juiz Sérgio Moro mostra que depois do advento da operação Lava Jato não há ninguém acima da lei. O juiz Sérgio Moro foi de uma coragem muito grande."

Segundo a condenação, Lula não poderá assumir qualquer cargo ou função pública por 19 anos. Mas, de acordo com a lei, ele só fica impedido de se candidatar à presidência em 2018 se for condenado em segunda instância antes das eleições de outubro do ano que vem. Por enquanto, Lula vai aguardar a decisão em liberdade.

Sem coalizão para governar, Alemanha tenta evitar eleições antecipadas

Chile vai ao segundo turno das eleições presidenciais com Piñera favorito

Greenpeace processa Noruega por avanço da exploração de petróleo no Ártico

Acusações de assédio sexual provocam escândalo no Parlamento Britânico

Centenário da Revolução Russa inspira nostalgia, mas divide opiniões

Por falta de moradia, Dinamarca propõe contêiners de luxo para estudantes

Assessores de campanha de Trump são indiciados por conspiração contra EUA

Interventores de Madri chegam a Barcelona para assumir gestão da Catalunha