rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

Macron recebe prefeito João Doria no Palácio do Eliseu

Por Paloma Varón

O prefeito da cidade de São Paulo, João Doria (PSDB-SP), está em Paris nesta sexta-feira (1º de setembro), onde participou do Global Positive Forum, um evento organizado pelo economista Jacques Attali, que foi assessor do ex-presidente (1981-1995) francês François Mitterrand.

Doria falou depois da prefeita de Paris, Anne Hidalgo, e de políticos como o primeiro-ministro da Islândia e representantes de países tão diversos como Fiji e Congo.

Antes de sua fala, porém, houve uma manifestação de uma mulher contra o governo Temer. O protesto foi pacífico e Doria limitou-se a dizer que respeitava o ato.

Na agenda do prefeito, estava incluído um encontro com o presidente francês, Emmanuel Macron, que aconteceu no Palácio do Eliseu, antes de um jantar com banqueiros e empresários. Amanhã, Doria tem um almoço previsto com o primeiro-ministro, Édouard Philippe.

Privatizações

Em sua palestra, em francês, Doria frisou as políticas de privatizações e concessões, que ele acredita trazerem mais eficiência e resultados para a cidade de São Paulo, assim como desenvolvimento econômico. Ele usou diversas vezes a palavra “desestatizar” e frisou que se deve distinguir o que é público (de uso público) do que é estatal.

O prefeito defendeu a iniciativa privada na gestão de políticas públicas e citou o que ele chama de start ups sociais, ou seja, empresas inovadoras para atuarem em setores como reciclagem de lixo e mobilidade urbana.

Perguntado se sua agenda em Paris era a agenda de um prefeito ou de um estadista, Doria disse que São Paulo é uma cidade-Estado, uma cidade global e afirmou que continuará viajando, apesar das críticas que recebe por não estar sempre em São Paulo.

Neste momento, aproveitou para atacar o PT, dizendo que o partido faz uma política “miúda, pequena e personalista”, enquanto a sua política seria “mais ampla, plural e de interesse da população de forma global”.

Doria falou que o foco é administrar a cidade de São Paulo, mas agradeceu a todos os jornalistas que fizeram perguntas sobre suas intenções presidenciais, pois disse que isso o “enaltece”.

Macron

O prefeito manifestou sua admiração pelo presidente Emmanuel Macron, a quem chamou de “fonte de inspiração”, mas desconversou quando perguntado se ele estaria em pré-campanha: “Estou aqui na condição de prefeito de São Paulo”, disse.

Ao final de sua intervenção, Jacques Attali subiu ao palco para anunciar que a próxima edição do Global Positive Forum será em São Paulo, em 2019.

Doria disse que faria o convite ao presidente Macron para que ele abrisse o evento em São Paulo.

Mobilidade urbana

Questionado se o aumento do número de acidentes nas marginais estaria relacionado ao aumento da velocidade máxima permitida, ele contestou e disse que os acidentes ocorrem por imprudência dos motoristas e dos motociclistas.

Doria falou de melhorias nos ônibus municipais, segundo ele previstas para acontecerem até 2020, e do incentivo ao uso de bicicletas e carros elétricos para que a capital paulista seja uma cidade mais sustentável.

Marcela Levi e Lucía Russo: Crise no Brasil está esgotando a criação na dança

Pesquisador brasileiro comemora consolidação do futebol em meio acadêmico

Tatiana Leskova, testemunha viva da história do balé, é homenageada em Paris

Em Annecy, diretor de 'A Era do Gelo' revela desejo de criar séries de animação com parceiros no Brasil

“Temos que lutar para que não haja adiamento das eleições no Brasil”, diz Celso Amorim

Ministro da Cultura Sérgio Sá Leitão destaca "crescimento chinês” do audiovisual brasileiro

“Nossa música não está mais conectada com o povo”, diz compositor André Mehmari

Jornalista lança livro em Paris sobre José Ibrahim, um dos maiores nomes do sindicalismo brasileiro

“Roland Garros é a alma do tênis brasileiro atualmente”, diz Guga ao ser nomeado embaixador do torneio

Modelo de integração é de "indiferença às diferenças": romance de escritora franco-brasileira discute lugar da mulher mestiça entre Brasil e França

Mestre Reginaldo Maia resgata valores ancestrais da capoeira de Angola em Paris

“As eleições no Brasil já estão comprometidas”, diz presidente do PCO

"Moradia para todos é uma guerra política", diz urbanista João Whitaker em Paris

"Em tempos de email, só as cartas conseguem produzir uma eternidade nas pessoas", diz escritor Rodrigo Dias

Dupla Dinho Nogueira e Zé Barbeiro traz shows e cursos de choro para Europa

“Meu Brasil” é tema de mostra fotográfica em Paris criada com método de “mentoria”

Livro conta como Lisboa se tornou o “centro do mundo” na Segunda Guerra