rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

França Brasil João Dória Emmanuel Macron

Publicado em • Modificado em

Em encontro com Doria, Jacques Attali diz que crise não tira protagonismo do Brasil

media
João Doria e Jacques Attali neste sábado (2) na Praça da Concórdia, em Paris. Crédito: Paloma Varón/ RFI

O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB-SP) aproveitou sua vinda a Paris como palestrante do Global Positive Forum para fazer contatos políticos na capital francesa. Levado por Jacques Attali, economista francês e organizador do evento, foi recebido na sexta-feira (1) pelo presidente francês Emmanuel Macron. Neste sábado (2), Doria voltou a se reunir com Attali que analisou, com um certo otimismo, a situação brasileira atual.


O encontro entre Doria e Macron, no Palácio do Eliseu, não estava na agenda oficial do Palácio do Eliseu e não foi uma conversa reservada. O prefeito de São Paulo contou que convidou Macron para abrir o próximo Global Positive Forum, que será realizado em São Paulo, em novembro de 2019. Segundo ele, o presidente francês teria prontamente aceitado o convite. Esta edição do fórum deverá contar com uma presença latino-americana mais forte.

Na manhã deste sábado (2), Doria participou de um café da manhã com Jacques Attali e ambos se colocaram à disposição de jornalistas na Place de la Concorde, em Paris. Nesta conversa, Attali falou porque escolheu a cidade e o prefeito de São Paulo para representarem a América Latina no fórum.

“É importante para nós vermos que o mundo não é só os países desenvolvidos. O Brasil é um país fundamental para o futuro. O país representa todas as dimensões do futuro, não só em modernidade, mas nos desafios, como pobreza, meio ambiente. E o mundo é cada vez mais urbano. São Paulo, como uma das maiores cidades do mundo, é realmente o lugar que está na linha de frente das regiões com maiores desafios para o futuro”, analisa.

“Se você quer dizer algo significativo para o mundo, é importante conhecer São Paulo”, acrescentou.

“Maiores problemas do Brasil são pobreza e corrupção”

Attali disse que a crise econômica que o Brasil atravessa atualmente não o tira do papel de protagonista em um cenário global: “Os países têm altos e baixos, mas o Brasil é um país fundamental. O que quer que aconteça na política, o Brasil continuará sendo um dos países fundamentais no cenário mundial, um dos mais importantes membros do G20, uma das maiores populações do mundo, muitos desafios, promessas e recursos”, disse.

“Os brasileiros são conhecidos por sua criatividade nos negócios e nas artes, na cultura; eu não tenho dúvidas de que o Brasil vai ser um dos países mais importantes do século 21”, declarou, otimista.

“Na minha opinião, o maior problema do Brasil é a pobreza. Pobreza e corrupção”, concluiu o economista, que foi conselheiro especial do ex-presidente de François Mitterrand (1981-1995) e tem mais de 70 livros publicados.

Attali é uma forte influência na política e entre os políticos franceses. Ele apoiou a candidatura do atual presidente Emmanuel Macron. Perguntado se acredita que Doria será o novo presidente do Brasil, ele disse não ter a menor ideia. O economista francês se recusou a falar sobre o governo Temer.

O almoço do prefeito João Doria com o primeiro-ministro francês Édouard Philippe, previsto para este sábado (2), foi cancelado.