rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Brasil China Michel Temer Brics Lava jato

Publicado em • Modificado em

Temer diz na China que recebeu com serenidade nova denúncia da PGR

media
O presidente Michel Temer participou do encerramento da nona cúpula do Brics, em Xiamen, antes de embarcar de volta ao Brasil nesta terça-feira, 5 de setembro de 2017. V. Oswald

O presidente Michel Temer, que participou nesta terça-feira (5) do encerramento da nona cúpula do Brics na China, já embarcou de volta a Brasília. Antes de deixar Xiamen, ele concedeu uma entrevista à imprensa. O presidente fez um balanço positivo da viagem e disse que recebeu com serenidade a abertura da nova investigação do Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, sobre a delação da JBS.


Michel Temer falou rapidamente com os jornalistas na saída do hotel onde estava hospedado em Xiamen. Ele disse que a delegação brasileira foi muito bem recebida na visita de Estado a Pequim e na cúpula do Brics: “Foram bilhões de dólares que poderão ir para o nosso país em face da abertura que nós fizemos para o mercado nacional, naturalmente, e para o mercado estrangeiro.”

O presidente ressaltou as promessas de mais de US$ 10 bilhões em investimentos chineses. Ele também está otimista com o possível aumento dos investimentos indianos, aventado pelo primeiro-ministro Narendra Modi durante um encontro bilateral em Xiamen, e pelo aumento da cooperação entre os países do Brics.

Agência de inteligência e cooperação do Brics

Além da filial do novo Banco de Desenvolvimento do bloco no Brasil, que já está sendo estudada, o presidente brasileiro propôs a criação de uma nova agência. “Nós também propusemos uma coisa que ganhou o apoio de alguns parceiros que é uma espécie de agência de inteligência e cooperação entre os Brics. Isso foi mencionado por vários parceiros, entre os quais o presidente Putin”, salientou.

Coletiva concedida pelo Presidente da República, Michel Temer- Xiamen/China 05/09/17 05/09/2017 Ouvir

Sobre a nova investigação aberta pelo Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, que poderia invalidar a delação de Joesley Batista, Temer se negou a comentar o assunto, mas afirmou que está sereno.

“Eu não falo sobre isso. Eu tenho que ter a maior serenidade, como sempre tive, a respeito de todas as decisões que forem tomadas pela Justiça, pela Câmara dos Deputados ou pela Procuradoria-Geral. Eu tenho que respeitá-las, mas não devo falar uma palavra sobre isso”, afirmou.

Diante da insistência dos jornalistas, o presidente reafirmou que recebeu a notícia “com a serenidade de sempre". "Não houve uma alteração sequer. Aliás, se eu não tivesse essa serenidade desde o início ninguém suportaria o que aconteceu."

Antes de chegar ao Brasil, Temer fará novamente escalas no Cazaquistão e em Portugal. Ele é esperado em Brasília a tempo para participar das festividades do Sete de Setembro.