rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

Restaurante humanitário devolve dignidade a pessoas em dificuldades

Por Mauricio Assumpção

Na terça-feira (26) cem convivas participaram de um jantar muito especial em Paris. Um banquete que, a €1.800,00 por cabeça, reuniu a nata parisiense, interessada em ajudar outras pessoas a comerem com dignidade no Rio de Janeiro. Foi o primeiro jantar de gala do projeto Refettorio Gastromotiva, que em pouco mais de um ano já serviu mais de 20 mil refeições para pessoas em situação de vulnerabilidade.

Alexandra Forbes, jornalista e blogueira especializada em gastronomia, teve um dia corrido, mas, finalmente, conseguiu chegar aos estúdios da RFI em Paris. Entre uma viagem e outra, com uma agenda sobrecarregada, Alexandra tinha pressa – até que começou a falar do Refettorio Gastronomia. Seus olhos, então, brilharam, enquanto a jornalista nos contava sobre esse projeto humanitário que devolve um pouco de dignidade às pessoas acolhidas por ONG’s por estarem desabrigadas, desprotegidas ou desamparadas.

“Nós temos um restaurante sem conta”, brinca Alexandra, quando explica o funcionamento do Refettorio Gastromotiva.

Todas as noites, de segunda a sexta-feira, 90 pessoas são convidadas a jantar no Refettorio, esse restaurante gratuito na Lapa, uma iniciativa de Alexandra e dos chefes David Hertz, líder do projeto social Gastromotiva, e Massimo Bottura, italiano, dono da Osteria Francescana, em Modena, um dos melhores restaurantes do mundo.

No Rio, a seleção dos convidados do Refettorio é feita através de ONG’s, num sistema de rodízio entre elas. À mesa, os convivas são atendidos por garçons voluntários, que lhes servem com a distinção de um restaurante francês. Os pratos são preparados por chefes renomados ou não, auxiliados por estagiários em formação da Gastromotiva.

“Não se trata de um bandejão”, explica Alexandra. “Oferecemos um serviço à francesa, com entrada, prato principal e sobremesa. Não é um comidão (jogado na bandeja). As pessoas são servidas com muita dignidade e respeito”.

Ação contra o desperdício de alimentos

Para além do lado humanitário, o projeto Refettorio Gastromotiva se destaca pela preocupação com o meio-ambiente. Todo os alimentos provêm do excedente não vendido pelo patrocinador, o grupo Benassi, distribuidor de hortifrúti.

“Não se pode confundir ‘excedente’ com ‘resto de comida’”, alerta Alexandra. “Nós recebemos frutas e legumes que estão maduros demais ou que estão um pouquinho amassados, enfim, produtos que sobram depois que os caminhões de entrega da Benassi já partiram”.

As chuteiras do craque

A grande surpresa do jantar de gala em Paris, cujas doações Alexandra ainda não tivera tempo de somar, ficou por conta do jogador Neymar, do Paris Saint-Germain. Se não pode comparecer, o craque milionário não deixou de prestigiar o evento de caridade, enviando, inesperadamente, um par de chuteiras autografadas, que foram o grande destaque do leilão organizado por Alexandra.

“Foi um sonho. Em primeiro lugar, porque eu sou fã do Neymar. Mas também porque ele é um orgulho dos brasileiros aqui em Paris. É um cara muito ligado em causas sociais. Por isso, tinha tudo a ver com o nosso jantar de gala”, lembra Alexandra.

Clique no link abaixo para assistir o vídeo completo da entrevista de Alexandra Forbes.

Karim Aïnouz conta na Berlinale a vida de refugiados em aeroporto alemão

Aplicativo brasileiro de reciclagem que conecta catadores e população é premiado em Paris

“A emoção do rádio é impagável”, diz o narrador esportivo José Silvério

Carnaval revela essência da sociedade brasileira, diz antropólogo Roberto DaMatta

Internet ajudou a criar manifestações de revolta sem líderes, diz psicanalista Ana Costa

“Paul Bocuse adorava o Brasil,” diz chef de cozinha Laurent Suaudeau

“Quem precisa ser pacificada no Rio é a própria polícia”, afirma especialista em favelas

Opinião: Analistas e imprensa europeia têm visão “deformada” do “mito Lula”

“Brasil atual lembra momentos sombrios da história do país”, diz escritor Godofredo de Oliveira Neto

“Incompetência intercultural dificulta relações franco-brasileiras”, alerta linguista francês

Paulo Sérgio Pinheiro critica desprezo de diversos países da ONU com a população síria

“O processo de judicialização do Brasil fez duas vítimas, Lula e Dilma”, diz Luiz Felipe de Alencastro

Julgamento de Lula "tem base mais política do que judiciária", diz historiadora francesa

“Arcaísmo marca representação do negro no cinema”, opina sociólogo da Unicamp