rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

“Villa-Lobos leva o europeu a se interessar por outros compositores brasileiros”, diz Paulo Meirelles

Por Mauricio Assumpção

Nesta terça-feira (7), o pianista brasileiro Paulo Meirelles se apresenta na embaixada do Brasil em Paris ao lado da mezzo-soprano Angela Diel. O duo interpreta canções eruditas, de Villa-Lobos a Marlos Nobre, apresentando um painel da música contemporânea brasileira.

Nascido na pequena cidade de Astorga, no norte do Paraná, Paulo Meirelles foi apresentado às teclas do piano aos cinco anos, pelas mãos da professora Sandra Delallo. Desde então nunca mais abandonou o teclado, ganhando uma série de concursos no Brasil, que o levaram aos festivais e, finalmente, à Universidade de São Paulo, onde estudou piano sob a orientação de Fernando Corvisier.

Interessado pela prática e pela teoria, Meirelles deu continuidade aos estudos na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, onde, com uma bolsa da CAPES, defendeu uma tese de mestrado em Práticas Interpretativas, abordando a obra do compositor José Antônio de Almeida Prado (1943-2010).

Tocando com um tom de “azul arroxeado”

Hoje, Meirelles cursa o segundo ano do doutorado em Música da Université de Paris-Sorbonne, onde se aprofunda na compreensão e interpretação da subjetividade nas obras para piano de Almeida Prado.

“O foco da minha pesquisa são as metáforas do Almeida Prado. Ele sempre usou muitas anotações subjetivas nas suas composições. Ele indicava, por exemplo, que um trecho devia ser tocado ‘como estrelas’, ‘como uma galáxia’ ou ‘azul arroxeado’. Isso é um desafio enorme para o músico, que tem que interpretar essas anotações tão subjetivas”, explica Meirelles.

Sempre Villa-Lobos

No concerto desta terça-feira, Meirelles e Diel esperam poder cativar os ouvidos europeus com um repertório bastante variado de compositores brasileiros de música contemporânea. Além de Camargo Guarnieri, Francisco Mignone e Marlos Nobre, o programa conta com duas peças de Heitor Villa-Lobos, ainda considerado por muitos melómanos o mais importante compositor erudito do Brasil, senão de todo o continente americano.

“Villa-Lobos faz a ponte para que os europeus possam se interessar por outros compositores brasileiros de música erudita”, contou Meirellles à RFI.

Clique no box abaixo para assistir ao vídeo da entrevista de Paulo Meirelles. No fundo musical, ouvimos O Uirapuru na voz de Angela Diel com piano de Paulo Bergmann.

Revista Brésils inaugura edição bilíngue com dossiê sobre parques e jardins

Racismo é tema de instalação que abre mostra virtual de artistas brasileiros em Paris

"Não é normal que o Brasil continue socialmente tão desigual”, dizem autores de Atlas

Festival franco-brasileiro Curta com Teatro celebra cinco anos de exibição de peças e filmes

Viagens do surrealista francês Benjamin Péret pelo Brasil são tema de livro

Mario Bakuna fala sobre tocar clássicos russos com “pegada brasileira”

Startup carioca alia tecnologia de ponta e fornecedores franceses para criar produtos 100% recicláveis

Falhas do Estado explicam aumento de apoio à pena de morte no Brasil, diz pesquisador da HRW

"As pessoas bebem café gourmet em busca de status social", revela sociólogo brasileiro

"Nossa dívida pública é alimentada por mecanismos fraudulentos", alerta ONG da Dívida

Guilherme Pimentel: "O WhatsApp é uma ferramenta de denúncia da violência policial no Rio"

"Condenado, preso ou livre, Lula é fator mais relevante da eleição 2018”, diz cientista política

“Me sinto adotado pelos músicos brasileiros”, diz violinista francês Nicolas Krassik

"É urgente transformar o consumo", diz estilista brasileira vencedora de prêmio em Paris

“Lisboa é uma ‘cidade resort’”, afirma membro de associação turística

Sommelière ensina como economizar na hora de escolher vinhos para o Natal