rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

"Quis mostrar lugares autênticos e fora do roteiro de Paris", diz blogueira Carol Pio Pedro

Por Márcia Bechara

Ela é paulistana e decidiu fazer um curso de francês em Paris. Dessa experiência, nasceu não só um blog e um perfil Instagram de sucesso, mas um livro que já está nas livrarias de todo o Brasil, "30 jours à Paris" ("30 dias em Paris") - "Inspirações para uma viagem autêntica", editado pela Letramento. O RFI Convida Carol Pio Pedro, e sua "curadoria de conteúdo" sobre a cidade-luz.

(Para ouvir a entrevista com Carol Pio Pedro na íntegra, clique na foto acima)

"Antes mesmo do livro, o perfil Instagram "30 jours à Paris" nasceu em abril de 2015, quando vim estudar francês, na verdade retomar o francês. Estudei a vida inteira no coléfio Liceu Pasteur, em São Paulo, já tinha me formado há muitos anos. Eu tinha acabado de sair de um emprego onde havia ficado muitos anos, e precisava parar um pouco e retomar algumas coisas da minha vida pessoal. Meses depois do Instagram, comecei um blog. No começo desse ano, veio um convite muito especial da editora Letramento para que eu desenvolvesse um livro e a ideia inicial era transformar o blog em um livro", conta Carol Pio Pedro.

"A ideia nunca foi escrever um romance, mas fazer aquilo que eu sei fazer, que é mostrar lugares um pouco mais autênticos e fora do roteiro turístico para que os viajantes brasileiros aproveitem e tenham uma boa experiência em Paris", explica a autora.

"Vejo em Paris um respeito muito grande entre poder público e cidadãos aqui. O respeito mútuo acaba crescendo e isso nos contamina. Sinto muita falta, por exemplo, de estar em São Paulo e poder sair em segurança, de conhecer a minha cidade sozinha a qualquer hora, de ver monumentos históricos preservados, de ter respeito pela História, e de ser ao mesmo tempo aberto ao novo e à modernidade. Eu encontrei tudo isso aqui", diz Pio Pedro.

Carol Pio Pedro e o livro "30 jours à Paris". Reprodução Instagram

"Foi isso que me fez apaixonar por Paris, eu a conhecia antes apenas como turista, e, nesses 30 dias, tive a chance de vagar por esta cidade, de flanar todos os dias, conhecendo lugares autênticos - e pontos turísticos também, claro -, mas também aqueles pontos locais", afirma a blogueira.

O que NÃO fazer em Paris

"O ideal seria não ficar muito tempo em um metrô, muito menos dentro de um táxi, ou dentro de um ônibus turístico. O gostoso de Paris é andar pelas ruas, e por mais que você tenha um roteiro que te ajude, ainda assim se permitir se perder, entrar numa rua, não saber onde vai, porque mesmo assim você vai encontrar algo extremamente bonito, interessante e histórico", recomenda Carol.

Para conhecer algumas das dicas preferidas de Carol Pio Pedro em Paris, clique abaixo para ver a entrevista ou na foto acima para ouvir o programa.

 

 

 

Governo ataca liberdade de expressão no Brasil e o povo não se dá conta, diz Leandro Demori, do Intercept

Fotógrafo brasileiro apresenta série sobre os desafios do Cerrado em Paris

Museu Internacional da Mulher será inaugurado em Portugal com curadora brasileira

Comitiva de indígenas brasileiros na Europa reforça campanha contra acordo UE-Mercosul

"Quero viver de arte", diz jovem pintora maranhense que expôs na França

Claudia Jaguaribe lança livros de fotografia sobre mulheres e meio ambiente em Paris

“Atualidade política e social do Brasil me inspirou”, diz Flávia Coelho sobre disco DNA

“Leiam escritores brasileiros vivos!”, pede Fred Di Giacomo, finalista do Prêmio SP de Literatura

Mestre da Arte Óptica, Marcos Marin expõe em Paris obras de Neymar e Santos Dumont

Curador expõe fotógrafos brasileiros da nova coleção da Biblioteca Nacional da França em "Terra Brasilis"

Palcos europeus recebem pela primeira vez a música-poesia de Arthur Nogueira

Revelação do violão brasileiro, João Camarero leva sofisticação do choro a plateias europeias

Do interior do Amazonas a digital influencer premiada em Mônaco: a história de Cacau Sitruk

Duo franco-brasileiro lança disco que mistura “Trem das Onze” e Erik Satie

“Meu trabalho é pela pacificação”, diz pintora brasileira que expõe em Paris

Luiza Brunet diz que “toda mulher é feminista”: “apanhar aos 50 foi gota d’água”

Feira de Frankfurt: “Brasil é o país das impossibilidades”, diz Luiz Ruffato