rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

"Quis mostrar lugares autênticos e fora do roteiro de Paris", diz blogueira Carol Pio Pedro

Por Márcia Bechara

Ela é paulistana e decidiu fazer um curso de francês em Paris. Dessa experiência, nasceu não só um blog e um perfil Instagram de sucesso, mas um livro que já está nas livrarias de todo o Brasil, "30 jours à Paris" ("30 dias em Paris") - "Inspirações para uma viagem autêntica", editado pela Letramento. O RFI Convida Carol Pio Pedro, e sua "curadoria de conteúdo" sobre a cidade-luz.

(Para ouvir a entrevista com Carol Pio Pedro na íntegra, clique na foto acima)

"Antes mesmo do livro, o perfil Instagram "30 jours à Paris" nasceu em abril de 2015, quando vim estudar francês, na verdade retomar o francês. Estudei a vida inteira no coléfio Liceu Pasteur, em São Paulo, já tinha me formado há muitos anos. Eu tinha acabado de sair de um emprego onde havia ficado muitos anos, e precisava parar um pouco e retomar algumas coisas da minha vida pessoal. Meses depois do Instagram, comecei um blog. No começo desse ano, veio um convite muito especial da editora Letramento para que eu desenvolvesse um livro e a ideia inicial era transformar o blog em um livro", conta Carol Pio Pedro.

"A ideia nunca foi escrever um romance, mas fazer aquilo que eu sei fazer, que é mostrar lugares um pouco mais autênticos e fora do roteiro turístico para que os viajantes brasileiros aproveitem e tenham uma boa experiência em Paris", explica a autora.

"Vejo em Paris um respeito muito grande entre poder público e cidadãos aqui. O respeito mútuo acaba crescendo e isso nos contamina. Sinto muita falta, por exemplo, de estar em São Paulo e poder sair em segurança, de conhecer a minha cidade sozinha a qualquer hora, de ver monumentos históricos preservados, de ter respeito pela História, e de ser ao mesmo tempo aberto ao novo e à modernidade. Eu encontrei tudo isso aqui", diz Pio Pedro.

Carol Pio Pedro e o livro "30 jours à Paris". Reprodução Instagram

"Foi isso que me fez apaixonar por Paris, eu a conhecia antes apenas como turista, e, nesses 30 dias, tive a chance de vagar por esta cidade, de flanar todos os dias, conhecendo lugares autênticos - e pontos turísticos também, claro -, mas também aqueles pontos locais", afirma a blogueira.

O que NÃO fazer em Paris

"O ideal seria não ficar muito tempo em um metrô, muito menos dentro de um táxi, ou dentro de um ônibus turístico. O gostoso de Paris é andar pelas ruas, e por mais que você tenha um roteiro que te ajude, ainda assim se permitir se perder, entrar numa rua, não saber onde vai, porque mesmo assim você vai encontrar algo extremamente bonito, interessante e histórico", recomenda Carol.

Para conhecer algumas das dicas preferidas de Carol Pio Pedro em Paris, clique abaixo para ver a entrevista ou na foto acima para ouvir o programa.

 

 

 

Apesar dos retrocessos no país, literatura brasileira vive um bom momento, avalia Henrique Rodrigues

“Literatura LGBT não deve virar rótulo”, diz escritora Cristina Judar em Paris

“Cada vez mais o racismo brasileiro sai do armário”, diz Conceição Evaristo em Paris

Beatriz Seigner: Lula e Dilma ajudaram a mostrar outros sotaques do cinema no Brasil

Jornalista brasileiro Fernando Molica lança em Paris livro sobre racismo e violência policial

"O choro é talvez o gênero mais autenticamente brasileiro", diz especialista

Mulheres do Brasil em Paris cria comitê para apoiar brasileiras vítimas da violência na França

Descartar mandante do crime seria insulto, diz viúva de Marielle Franco

“Estamos revivendo a ditadura no Brasil”, diz documentarista de filme sobre rebelião contra colonização francesa em Madagascar

Primavera Literária de 2019 lança discussões sobre o Brasil e o futuro da literatura

“Muitas pessoas achavam que mulheres só eram capazes de pintar florzinhas ou eram as namoradas dos grafiteiros”, diz street artist Panmela Castro

Apresentador do Catfish Brasil, Ciro Sales diz ser consciente da responsabilidade de ter seguidores nas redes sociais

Associação Herança Brasileira ajuda desenvolvimento de crianças bilíngues em Paris

“Maconha pode ser auxílio e não algoz”, diz neurocirurgião à frente de portal sobre uso medicinal da cannabis no Brasil

“Postura do governo brasileiro sobre crise na Venezuela é a pior possível”, diz professor da UnB

"Qualquer um é melhor que Bolsonaro", diz José de Abreu, que se "autoproclamou" presidente do Brasil no Twitter

“Temos que colocar o ministro da Educação no eixo”, diz presidente da Ubes

“No Brasil, há uma tendência a encobrir escândalos sexuais”, diz membro do comitê que discute pedofilia na Igreja

"Ataques a povos indígenas é suicídio cultural”, diz geógrafo francês