rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

"Nossa dívida pública é alimentada por mecanismos fraudulentos", alerta ONG da Dívida

Por Maria Emilia Alencar

Desde o pagamento da indenização pela Independência até os dias de hoje, passando pela construção de Brasília e o suposto Milagre Econômico Brasileiro da ditadura militar, o Brasil deve. Deve muito, sem saber jamais quando poderá pagar. Na melhor das hipóteses, contratamos novos empréstimos para pagar os juros das dívidas interna e externa, enquanto continuamos a empurrar o passivo com a barriga. Esse eterno pagar de dívidas, em que passamos as décadas correndo para apagar o incêndio, tem um alto custo social à medida em que se deixa de investir na população para pagar aos bancos. Contra tudo isso, Maria Lúcia Fattorelli luta há 17 anos, como coordenadora nacional da ONG Auditoria Cidadã da Dívida.

“A nossa organização é um movimento social aberto à participação de todas as pessoas”, explica Fattorelli em entrevista à RFI. “99% do nosso pessoal é composto por voluntários e voluntárias, dentro e fora do Brasil. Nós nos dedicamos a decifrar a dívida pública brasileira. Porque essa dívida é paga por todos nós, de várias formas. Ela é paga através dos elevados tributos que pagamos, e também pela subtração de direitos sociais que são continuamente cortados para que sobre mais recursos para se pagar a dívida. Além disso, a dívida tem sido a desculpa, a justificativa, para contínuas privatizações do patrimônio público. Nós entregamos nossas riquezas, nossas empresas, com a desculpa de se pagar a dívida. Então, nós temos que saber que dívida é essa!”.

Taxas de juros no Brasil

“As taxas de juros praticadas no Brasil são, de longe, as mais elevadas do planeta. Esse é um os principais fatores de crescimento da própria dívida. Há 17 anos nós investigamos a dívida pública brasileira, interna e externa. Nós descobrimos que as dívidas têm sido geradas por mecanismos que não tem nada a ver com o que as pessoas pensam. Todos nós pensamos que uma dívida se cria a partir de um ingresso de recursos. Mas não é isso que acontece. A dívida tem sido gerada por mecanismos financeiros fraudulentos! E, depois de gerada, ela se multiplica por ela mesmo por causa das elevadíssimas taxas de juros. Nós contratamos novas dívidas para pagar dívidas anteriores, multiplicadas por elas mesmas em função dos juros abusivos”, conta Fattorelli.

O sistema financeiro

“Só justificaria contratar uma dívida pública se o recurso fosse aplicado em benefício da população. Não é isso o que vemos. Vemos dívidas surgindo de mecanismos que remuneram, no Brasil, diariamente, a sobra de caixa dos bancos. O lucro dos bancos no Brasil é incomparável com qualquer outro país no mundo. Atualmente, a quarta parte da chamada dívida interna, cerca de R$ 1,2 trilhão, é empregada em operações do Banco Central para justificar a sobra de caixa diária dos bancos”.

Próximos passos

“Por pressão nossa o Senado aprovou um requerimento ao Tribunal de Contas da União. Pela primeira vez o Tribunal de Contas da União está fazendo uma auditoria da dívida interna. Mas a nossa luta continua”, encerra Fattorelli.

Clique no box abaixo para assistir na íntegra à entrevista de Maria Lúcia Fattorelli.

Luiza Brunet diz que “toda mulher é feminista”: “apanhar aos 50 foi gota d’água”

Feira de Frankfurt: “Brasil é o país das impossibilidades”, diz Luiz Ruffato

“Se não tomarmos cuidado, fotografo um mundo em extinção”, diz Sebastião Salgado em Frankfurt

Barbara Paz: Documentário premiado em Veneza é seu “filho-filme” com Babenco

Conferência Internacional [SSEX BBOX] em Paris tem Jean Wyllys e Lea T na programação

Ao canonizar irmã Dulce, papa Francisco promove humanismo, diz biógrafo da religiosa brasileira

Brasil vendia imagem de país cordial, mas sempre foi autoritário, diz Lilia Schwarcz

"Descoberta mudou a física e a astronomia”, diz cientista brasileiro que pesquisou com novo Nobel

“Sucesso do cinema brasileiro não é acidente, foi plantado há vários anos”, diz Karim Ainouz

Da janela de um arranha-céu de Porto Alegre, Rodrigo John filma a “virada histórica” do Brasil de 2013 a 2018

“Desmonte da cultura é um verdadeiro pesadelo no Brasil” diz Julio Bressane, homenageado no Festival de Biarritz

“Surto de desmatamento na Amazônia se explica pela chegada do governo Bolsonaro”, diz cientista do INPA

Documentário sobre greve de caminhoneiros no Brasil é exibido em Paris

"Jacques Chirac vai ser lembrado como um bon vivant", diz escritor Gilles Lapouge

Violência no Brasil é fruto do aparato repressivo herdado da ditadura, diz filósofo Edson Teles

Festival 'Brésil en Mouvements' celebra 15 anos com 11 filmes inéditos e participação da família de Marielle Franco

Pesquisadores formam rede para divulgar acervos estrangeiros sobre cultura brasileira